Experimentações Performáticas: acolher, esquivar, circular e abrir potências/Performing Experiments: welcoming, dodging, circulating and opening powers

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto48199

Palavras-chave:

Terapia Ocupacional. Corpo (psicofisiologia). Arte. Cartografia.

Resumo

Introdução: A literatura recente discute o fortalecimento do campo de atenção em terapia ocupacional na interface corpo, artes e a cultura, compreendendo a importância e as contribuições deste profissional. Este trabalho apresenta parte das considerações finais da pesquisa intitulada: “Potências clínicas nos corpos em criação nas experimentações artísticas do programa TOCCA” e discute as práticas e os saberes transdisciplinares entre corpo, arte e clínica em terapia ocupacional por meio da análise do dispositivo grupal “experimentações performáticas”. Objetivo: cartografar, nos processos de criação atravessados pelo fazer artístico, os modos como se presentificam e performam a si mesmos os diferentes sujeitos individual e coletivamente. Método: Desenvolvida por meio da cartografia, observou-se o registro em diários de campo, em prontuários do grupo e em imagens e fez-se um estudo de material teórico referente às interfaces entre as artes e terapia ocupacional. Por meio da imersão, neste material, teceu-se narrativas. Por se tratar de uma pesquisa cartográfica, em todo percurso, produziu-se a análise e as implicações da pesquisadora foram igualmente consideradas. Resultados: Apresentam os deslocamentos necessários dos lugares instituídos por cada disciplina, como fundamentais para o surgimento e a ampliação das potências clínicas e estéticas do dispositivo, bem como para instauração e produção do comum. Conclusão: Acredita-se que esse deslocamento denota uma posição política importante para terapeutas ocupacionais, aliados a um movimento de resistência às lógicas dominantes na produção de conhecimentos e nas práticas em terapia ocupacional contemporânea

Palavras-chave: Terapia Ocupacional. Corpo (psicofisiologia). Arte. Cartografia

 

Abstract
Introduction: Recent literature discusses the strengthening of the occupational therapy care field in the body, arts and culture interface, understanding the importance and contributions of this professional. This work presents part of final considerations of the research entitled: "Clinical potencies in bodies under creation in the artistic experiments of the TOCCA program" and discusses the practices and transdisciplinary knowledge between body, art and clinic in occupational therapy through the analysis of the group device "experimentations performances”. Objective: to map the ways in which the different subjects individually and collectively present themselves and perform in the creative processes traversed by artistic making. Method: Developed through cartography, it was observed the registration in field diaries, in group records and in images, and a study of theoretical material regarding the interfaces between the arts and occupational therapy was carried out. Through immersion in this material, narratives were woven. As this is a cartographic research throughout, the analysis was produced and the implications of the researcher were equally considered. Results: They present the necessary displacements of the places instituted by each discipline as fundamental for the emergence and expansion of the clinical and aesthetic potencies of the device, as well as for the establishment and production of the common. Conclusion: It is believed that this shift denotes an important political position for occupational therapists, allied to a movement of resistance to the dominant logics in the production of knowledge and practices in contemporary occupational therapy.

Keywords: Occupational Therapy, Psychophysiology Art. Cartography


Resumen

Introducción: El grupo de estudio remoto, como acción del proyecto de extensión, surge a partir del aislamiento social provocado por la pandemia y la necesidad de complementar conocimientos sobre un recurso de tecnología asistiva desarrollado por terapeutas ocupacionales - ortesis. Objetivo Describir el potencial de una acción remota de extensión en ortesis en la formación de estudiantes en Terapia Ocupacional. Método: Se trata de una investigación con abordaje cuantitativo, de carácter exploratorio-descriptivo. Los datos fueron recolectados a través de un cuestionario con preguntas cerradas de opción múltiple, y enviados a los estudiantes que formaban parte del grupo de estudio remoto, con una participación mínima de dos encuentros, por contacto electrónico. Resultados: Se percibe que el grupo de estudio remoto tiene un impacto positivo en la formación (80%), principalmente por el acceso a artículos científicos actualizados, el intercambio de información sobre el tema estudiado y el conocimiento sobre diferentes modelos de ortesis dispensadas (100%). Se observa que aún con el regreso presencial de las actividades académicas es posible mantener las actividades de manera remota (40%), ya que el grupo de estudio tiene sus beneficios para la formación como futuro profesional (93,3 %), siendo una herramienta en la articulación entre docencia, investigación y extensión (86,7%). Conclusión: Independientemente de la retroalimentación presencial en las instituciones educativas, el grupo de estudio, remoto o no, es importante para la formación, sobre todo para complementar los conocimientos teóricos sobre ortesis.

Palabras clave: Difusión de la Información. Educación a Distancia. Relaciones Comunidad-Institución. Aparatos Ortopédicos. Terapia Ocupacional

Biografia do Autor

ANDREA DO AMPARO CAROTTA DE ANGELI, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

Docente Adjunta do Curso de Terapia Ocupacional do , Departamento de Terapia Ocupacional do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Santa Maria. Responde pelas áreas de fundamentos de terapia ocupacional e pela Terapia Ocupacional no campo da Cultura e interface com as artes. Coordena o grupo ESPAÇOCORPO: núcleo de estudos e pesquisa transdisciplinar entre a dança e a terapia ocupacional.

Referências

Agamben, G. (2013) A comunidade que vem. Belo Horizonte: Autêntica editora.

Almeida Prado, A. C. S., Silva, C. R., & Silvestrini, M. S. (2020). Juventudes, trabalho e cultura em tempos de racionalidade neoliberal. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 28(2), 706-724. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoARF1846.

Angeli, A. A. C. (2008) Respiros - Por um estado de jogo entre o teatro e a clínica. [Dissertação de Mestrado, PUC-SP]. https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/15680

Angeli, A. A. C. (2020.) PROGRAMA TOCCA: Práticas e saberes transdisciplinares entre as artes e a saúde. Projeto de extensão, Santa Maria: UFSM.

Angeli, A. A. C. (2021) Vagar e ocupar: dez anos de narrativas no TOCCA – saberes e práticas transdisciplinares entre as artes e a saúde. Interface (Botucatu). 25: e210218. https://doi.org/10.1590/interface.210218

Asanuma, G.; Valent, I.; & Mendes, M. L. (2018) Encontrar-te trajetos poéticos e invenção de lugares. Interface (Botucatu).; 22(65):649-62. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0102

Cardinalli, I & Castro, E. D. (2019) Trajetórias inventivas e produção de conhecimento: terapeutas ocupacionais e suas relações com arte, corpo e cultura. Rev. Interinst. Bras. Ter. Ocup. 3(4), 584-601. https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto27760

Cardinalli I, Cardoso P. T., Silva C. R., Castro E. D. (2021) Constelações afetivas: cotidiano, atividades humanas, relações sociais e Terapia Ocupacional entrelaçados à cosmovisão Krenak. Interface (Botucatu). https://doi.org/10.1590/interface.210262

Castro, E. D.; Inforsato, E. A., Buelau, R. M., Valent, I. U., & Lima, E. A. (2016). Território e diversidade: trajetórias da terapia ocupacional em experiências de arte e cultura. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 24(1), 3–12. https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoAO0663

Coll, A.N. (2002) Propostas para uma diversidade cultural intercultural na era da globalização. Cadernos de Proposições para o Século XXI. São Paulo: Instituto Pólis. http://hdl.handle.net/11465/424

Favre, R. (2010) Trabalhando pela biodiversidade subjetiva. Cadernos de Subjetividade. 12(1), 108-123. https://cadernosdesubjetividade.wordpress.com/2013/10/26/cadernos-de-subjetividade-n-13-2010/

Favre, R. (2021) Do corpo ao Livro. SP: Summus editora.

Galheigo S. M. (2020) Terapia ocupacional, cotidiano e a tessitura da vida: aportes teórico-conceituais para a construção de perspectivas críticas e emancipatórias. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional. 28(1): 5-25. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoAO2590

Galvani, D., Barros, D. D., Pastore, M. D. N., & Sato, M. T. (2016). Exercícios etnográficos como atividades em espaço público: Terapia Ocupacional Social no fazer da arte, da cultura e da política. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 24(4), 859–868. https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoARF1004

Inforsato, E. A. et al. (2017) Arte, corpo, saúde e cultura num território de fazer junto. Fractal Rev. Psicol., 29 (2), 110-117. https://doi.org/10.22409/1984-0292/v29i2/2160

Krenak, A. (2019) Ideias para adiar o fim do mundo. SP: Companhia das Letras ed.

Lancetti, A. (2016) Clínica Peripatética. SP: Hucitec ed.

Liberman, F.; & Maximino, V. (2016). Acessibilidade e experiência estética: um trabalho com mulheres em situação de vulnerabilidade. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional. 24(1), p. 139-146. https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoRE0671

Lima, M. E. A. (2019) Uma perspectiva ético-estético-política para as atividades em terapia ocupacional. IN: Silva, C. (org) Atividades Humanas e Terapia Ocupacional. SP: Ed. HUCITEC.

Mendes, M. L., & Castro, E. D. (2020). Fernand Deligny e uma clínica por vir: mobilizações sobre modos de cuidar em saúde mental na infância e adolescência. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional. 28(1), 343-355. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoEN1754.

Mendes, V. M. et al (2019) Ocupações poéticas de si e do outro: cartografando encontros entre arte, cultura e produção da vida. Psicologia Política. 19 (45), 351-369. mai-ago. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2019000200015&lng=pt&tlng=pt.

Pedron, D. (2013) Performance e escrita performática. Cadernos de subjetividade, n. 15. (impresso)

Silva, C. R. Silvestrini, M. S.; Poellnitz, J. C. V; Prado, A. C. S. A.; & Junior, J. D. L. (2018). Estratégias criativas e a população em situação de rua: terapia ocupacional, arte, cultura e deslocamentos sensíveis. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 26, (2), p. 489-500. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoRE1128

Silva C.R., Morrison R, Calle Y, & Kronenberg F. (2019) Terapias Ocupacionais do Sul: demandas atuais a partir de uma perspectiva sócio-histórica. Rev. Interinst. Bras. Ter. Ocup. 3(2): 172-178. https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto24867

Silva, J. A.; & Lima, E. M. F. A. (2015). Comunidades provisórias entre pessoas quaisquer: encontros de delicadeza, criação artística e diferença. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 23(3), p. 673-68. https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoEN0618

Silva, J. A; & Lima, E.M.A. (2014) Ocupar-se de nada, povoar-se de muito. Cadernos de Subjetividade., p. 151-162. (impresso)

Silveira, N. (1981) Imagens do Inconsciente. RJ: Alhambra editora.

Silvestrini, M. S., Silva, C. R., & Almeida Prado, A. C. da S. (2019). Terapia ocupacional e cultura: dimensões ético políticas e resistências. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 27(4), 929–940. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoARF1727

Valent, I. U; & Castro, E. D. (2016.) Por entre as linhas dos dispositivos: desafios das práticas contemporâneas na interface terapia ocupacional e cultura. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional. 24 (4): 837-848. https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoEN0666

Valent, I. U.; Machado, A.; & Corsini, L. (2020.) Comunidades heterogêneas, produção do comum e acolhimento ao incomum. Nova Perspectiva Sistêmica, 29 (66), 113-121. https://www.revistanps.com.br/nps/article/view/579

Valent, I. U; & Castro, E.D. (2017) Da diversidade ao comum: práticas artísticas, cidadania e políticas sociais. RELACULT – Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade, 03. http://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.475.

Zourabichvili, F. (2000). Deleuze e o possível. IN: Alliez, E. (Org) Gilles Deleuze: uma vida filosófica. São Paulo: ed. 34.

Downloads

Publicado

2022-08-13

Edição

Seção

Artigo Original