1.4 L’immémorial. Nancy et le portrait

Autores

  • Clemens-Carl Härle Universidade de Siena, Itália

Palavras-chave:

retrato, mesmo, sujeito, pintura

Resumo

Este pequeno ensaio gira em torno de dois textos de Jean-Luc Nancy sobre o retrato, onde, com ar de quem não quer nada, ele desenvolve uma tese sobre a arte, a pintura, e a figuração em geral. O autor começa localizando na representação do rosto humano um movimento duplo, contraditório, de aparição e retirada, que suscita uma noção paradoxal de «mesmo» e de «mesmidade»: o rosto figurado não provoca uma mimesis identificatória, o «mesmo» manifesto no reconhecimento: é ele (ou ela), é suscitado em uma «invisível mesmidade» enquanto ela se retira. Compreendemos como essa tese desloca toda noção de identidade, de sujeito e de eu: o mesmo de se trata implica sempre uma alteridade, uma relação de si consigo mesmo.

Biografia do Autor

Clemens-Carl Härle, Universidade de Siena, Itália

Professor aposentado de literatura alemã na Universidade de Siena, Itália. Tradutor de Walter Benjamin, Jean-François Lyotard, Maurice Blanchot e Giorgio Agamben. Escreveu ensaios sobre G. Deleuze, F. Kafka, H. von Kleist, T.W. Adorno, W. Benjamin, I. Bachmann e P. Weiss.

Referências

NANCY, Jean-Luc. Le Regard du portrait. Galilée: Paris, 2000 (RP).

NANCY, Jean-Luc. L’Autre Portrait. Galilée: Paris, 2014 (AP).

Downloads

Publicado

2023-09-29