Os coléricos cômicos (Retórica II, 2)

Fernando Santoro

Resumo


A cólera, a piedade e o temor. Parecem ser estas três as mais importantes ou os núcleos centrais das diversas afecções humanas, tal como as apresenta Aristóteles. Precedendo o estudo eidético sobre as diversas afecções em seu modo de aparecer na quotidianidade humana, diz Aristóteles na Retórica 1378a19-22: “As afecções são as causas que fazem alterar os seres humanos e introduzem mudanças nos seus juízos, na medida em que elas comportam dor e prazer: tais são a cólera, a piedade, o medo e outras semelhantes, assim como as suas contrárias.” A investigação dos efeitos operados pelas poesias dramáticas (tragédia e comédia) sobre as disposições, paixões e humores dos espectadores precisa ser precedida e acompanhada por uma compreensão geral das afecções no Corpus Aristotélico. Uma maior compreensão das afecções em geral abrirá o caminho para vislumbrar não apenas as afecções ligadas à tragédia, como também as afecções que seriam mais ligadas ao riso e à comédia, e o respectivo sentido dos seus efeitos nestes casos. Uma passagem exemplar é a descrição que Aristóteles faz dos tipos coléricos, no segundo livro da Retórica, que aqui veremos como uma listagem particular de personagens da comédia (1379a16 – 38).


Palavras-chave


Aristóteles. Retórica. Poética. Comédia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.