A recepção da Poética no Fausto de Goethe

Cláudio de Souza Castro Filho

Resumo


Os escritos teóricos de Johann Wolfgang von Goethe deixam clara a participação do poeta alemão nas discussões acerca da Poética de Aristóteles que, percebidas desde a Renascença, retomam o fôlego a partir do Classicismo francês, no século XVII). Em meio à produção dramatúrgica e às discussões filosóficas do século XVIII, Goethe caminha na direção contrária de visões conservadoras que interpretam a letra aristotélica de forma dogmática, prescritiva. Pelo contrário, o poeta incorpora em sua obra teatral, especialmente no Primeiro Fausto, noções substanciais da Poética, como a peripécia e o reconhecimento trágicos, sobretudo no que se refere à Gretchentragödie. Por outro lado, a escrita goethiana subverte os cânones clássicos ao construir uma obra dramática episódica, similar à forma épica do teatro medieval. É sobre as aproximações e diferenças entre a filosofia aristotélica e a poesia goethiana que este artigo pretende tratar.

Palavras-chave


Poética de Aristóteles; Fausto de Goethe; Gretchentragödie; tragédia; Romantismo alemão

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.