Os conceitos de mutirão e assentamento: ideias para a segunda Abolição

kwame ankh thiago brito, Claudio Medeiros

Resumo


Mutirão e assentamento, ambos invocam ancestralidades banto, nagô e cabocla: o mutirão quando nos ensina uma forma de trabalho que não implica servidão e animalidade, o assentamento quando contrai por metáfora espacial o solo mítico da origem e faz equivaler-se a uma parte do território histórico da diáspora. Ambas ideias para a segunda abolição, práticas de rasura naquilo que Ronnielle Singular denomina “transcolonização de si mesmo”.


Palavras-chave


Ética; Filosofia Africana; Filosofia Experimental Brasileira; Achille Mbembe; Muniz Sodré; Luiz Antônio Simas

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, W. Walter Benjamin: aviso de incêndio: uma leitura das teses Sobre o conceito de história. Trad. Wanda Brant, Jeanne Marie Gagnevin, Marcos Müller. São Paulo: Boitempo, 2005.

FELIX, João Batista de Jesus. HIP-HOP: cultura e política no contexto paulistano. Curitiba: Appris, 2018.

GONZALEZ, Lélia. Mulher Negra. In NASCIMENTO, Elisa Larkin. Guerreiras de Natureza: mulher negra, religiosidade e ambiente. São Paulo: Selo Negro, 2008, p. 29-48.

KASHINDI, Jean-Bosco Kakozi. Ubuntu Como ética africana, humanista e inclusiva. Cardernos IHUideias, São Leopoldo, n° 254, vol. 15, p. 03-24, 2003.

KOJÈVE, A. Introdução à leitura de Hegel. Trad. Estela dos S. Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto: EDUERJ, 2002.

LUKÁCS, Gyorg; História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. Trad. Rodney Nascimento. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

LUZ, Marco Aurélio. Agadá: Dinâmica da Civilização Africano-Brasileira. 4a edição. Salvador: EDUFBA, 2017.

MARX. Manuscritos econômico-filosóficos. Trad. Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2004.

MARX. O Capital – Livro I. Trad. Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013.

MBEMBE, A. Crítica da Razão Negra. Trad. Marta Lança. Lisboa: Antígona, 2014.

MBEMBE, A. Sair de grande noite: Ensaio sobre a África descolonizada. Trad. Narrativa Traçada. Luanda: Edições Mulemba, 2014.

NABUCO, J. O abolicionismo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

NASCIMENTO. Wanderson Flor do. Manifestações afro-brasileira: cosmopercepções e religiosidades africanas no Brasil. In KOMINEK, Andrea Maila Voss; VANALI, Ana Crhistina (Orgs.). Roteiros temáticos da diáspora: caminhos para o enfrentamento ao racismo no Brasil. Porto Alegre: Editora Fi, 2018, p. 501-518.

NORONHA, L. Malandros: notícias de um submundo distante. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

Partido Alto. Dirigido por Leon Hirszman. 1982; Rio de Janeiro, Brasil: Embrafilme, 1982.

PATROCÍNIO, José do. Gazeta de Notícias, 6 de setembro de 1880.

POSSIDONIO, E. Entre ngangas e manipansos. Salvador: Sagga, 2018.

PRANDI; VALLADO; SOUZA. “Candomblé de Caboclo em São Paulo”. In: PRANDI, Reginaldo (Org.). Encantaria brasileira: o livro dos mestres, caboclos e encantados. Rio de Janeiro: Pallas, 2004.

REBOUÇAS, A. Conferederação abolicionista: abolição imediata e sem indenização. Panfleto n. 1. Rio de Janeiro: Typ. Central, 1883.

SANTANA, Tiganá. A cosmologia africana dos bantu-kongo por Bunseki Fu-Kiau: tradução negra, reflexões e diálogos a partir do Brasil. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, p. 233. 2019.

SANTOS, Juana Elbin dos. Os Nàgô e a morte: Pàde, Àsèsè e o culto Égun na Bahia. Trad. UFBA. 14 ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

SIMAS, L; RUFINO, L.. A. Fogo no mato: a ciência encantada das macumbas. Rio de Janeiro: Mórula, 2018.

SODRÉ, M. O terreiro e a cidade: a forma social negro-brasileira. Rio de Janeiro: Imago, 2002.

SODRÉ, M. Samba, o dono do corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

SOUZA, Ana Lúcia Silva. Letramentos de reexistência: Poesia, Grafite, Música, Dança: hiphop. São Paulo: Editora Parábola, 2011.

THEODORO, Helena. O negro no espelho. Tese (Tese em filosofia) – Universidade Gama Filho. Rio de Janeiro, p. 258. 1985.

WELLER, Wivian. Minha voz é tudo o que eu tenho: manifestações juvenis em Berlim e São Paulo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Ítaca - Periódico acadêmico administrado e editado por discentes de pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

ISSN (1519-9002 | 1679-6799) 

 

Última atualização: Agosto/2019

Last update: Agust/2019