Entre Biopolítica e Necropolítica: uma questão de poder

Adriano Negris

Resumo


O presente artigo tem o objetivo de estabelecer uma relação entre a noção de biopolítica, elaborada por Michel Foucault, e o conceito de necropolítica, pensado pelo filósofo camaronês Achille Mbembe. Veremos que a necropolítica de Mbembe não é uma variação ou continuidade da biopolítica foucaultiana. Nesse sentido, notaremos que o conceito de necropolítica possui uma historicidade própria, ele é cunhado a partir da experiência política e cultural de um povo específico e, por isso, tais peculiaridades que não podem ser desconsideradas sob pena de apagamento ou encobrimento do Outro.


Palavras-chave


Poder; Política; Biopolítica; Necropolítica

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Estado de Exceção. Tradução: Iraci D. Poleti. São Paulo: Boitempo, 2004.

______. Homo sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

______. Meios sem fim: notas sobre a política. Tradução Davi Pessoa Carneiro, 1 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

CASTELO BRANCO, G. Governamentalidade, política, resistências ao poder In: Michel Foucault: política: pensamento e ação. Haroldo Resende (org.), Autêntica Editora, 2016, pp. 111-121.

______. O racismo no presente histórico: análise de Michel de Foucault. Kalagatos, v. 1, n. 1, p. 129-144, 6 dez. 2004.

______. Ontologia do presente, racismo lutas de resistência In: Poder, normalização e violência: incursões foucaultianas para a atualidade. Izabel C. Friche Passos (org.), Autêntica Editora, 2013, pp. 83-89.

CASTRO-GOMEZ, Santiago. Michel foucault y la colonialidad del poder. Tabula Rasa, Bogotá, n. 6, p. 153-172, June, 2007.

ESTÉVEZ, Ariadna. Biopolítica y necropolítica¿constitutivos u opuestos? Espiral: Estudios sobre Estado y Sociedad, ISSN-e 1665-0565, Vol. 25, Nº. 73, 2018, págs. 9-43.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber; tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2016.

_______. A sociedade punitiva: curso no Collège de France (1972-1973); tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2015(a). ______. Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975-1976); tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2010. ______. Microfísica do Poder. 23ª ed. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

______. História da Sexualidade I: A Vontade de Saber. Rio de Janeiro, Edições Graal, 1988.

______. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978- 1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008(a).

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Tradução: Marta Lança. Lisboa: Antígona, 2014.

______. Necropolítica. Biopoder, soberania, estado de exceção, política de morte. Traduzido por Renata Santini. São Paulo: n-1 edições, 2018.

______. Políticas da inimizade. Tradução: Marta Lança. Lisboa: Antígona, 2017.

MENDIOLA, Ignacio. De la biopolítica a la necropolítica: la vida expuesta a la muerte. Eikasia: revista de filosofía, ISSN-e 1885-5679, Nº. Extra 75, 2017 (Ejemplar dedicado a: Filosofía y política), págs. 219-248.

PRADO JR, Caio. Formação do Brasil contemporâneo. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

VALENCIA, Sayak. Capitalismo gore. Editorial Melusina, Santa Cruz de Tenerife, 2010.

______. Capitalismo Gore y Necropolitica en México Contemporáneo. Relaciones Internacionales, num. 19, febrero de 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Ítaca - Periódico acadêmico administrado e editado por discentes de pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

ISSN (1519-9002 | 1679-6799) 

 

Última atualização: Agosto/2019

Last update: Agust/2019