PISO SALARIAL DE R$ 3,55: O QUE ESTÃO FAZENDO COM A EDUCAÇÃO FÍSICA?

Rafael da Silva Mattos

Resumo


O objetivo deste artigo é fazer uma discussão teórica e conceitual a partir de Aristóteles e Karl Marx sobre a desvalorização do profissional de Educação Física na atualidade. Iniciamos o artigo destacando a existência de um piso salarial de R$ 3,55, assim como o não respeito às garantias trabalhistas constitucionais. Na segunda parte do artigo realizamos uma abordagem histórica da produção teórica de Karl Marx e sua contribuição para compreendermos a exploração do trabalhador. Por fim, apresentamos o conceito de “felicidade” proposto por Aristóteles como o maior bem humano e nos perguntamos como é possível ser feliz se o trabalho, que deveria ser fonte de prazer e sustento, se tornou desvalorizado pelas instituições empregadoras.

 

Palavras-chave: Piso Salarial -- Educação Física -- Aristóteles - Marx


Palavras-chave


Piso Salarial; Educação Física; Aristóteles; Marx

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.