A crítica ao mundo cívico e os novos bens futuros

Ariley Dias

Resumo


As experiências passadas com grupos narcotraficantes, milicianos e o policiamento permanente são elementos da história singular do Jardim Batan, favela localizada no bairro de Realengo, Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. A percepção dos moradores de que o programa de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) fracassou gera um novo tipo de temporalidade. Se antes eles esperavam a chegada de novos bens devido à crença na ausência do Estado, agora anseiam por benefícios imediatos por não acreditarem na eficiência das ferramentas governamentais. Esta pesquisa baseia-se em uma etnografia realizada entre 2014 e 2016.


Palavras-chave


violência urbana, favela, crítica ao Estado, futuro, Zone Oeste da cidade do Rio de Janeiro

Texto completo:

PDF XML

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

             

APOIO:    

SCImago Journal & Country Rank