Self-Regenerating Crime: The Resilient Network of a Sector of Rio de Janeiro’s Drug Trafficking in the 1970s

David Maciel de Mello Neto

Resumo


O crime que se regenera: A resiliente rede de um segmento do narcotráfico fluminense em 1970 traça uma análise de rede social (ARS) do narcotráfico fluminense no início dos anos 1970. Depois de revisar a teoria do crime organizado e onde a ARS se posiciona, mostramos como a rede foi construída. As partes restantes exploram o social embeddedness da rede, sua topologia e como ela se comporta diante de estratégias de ataque. Os resultados mostram que a rede se organizava em uma topologia comunitária de alta modularidade com efeito de pequeno-mundo e pequena a moderada acoplagem social, potencialmente resiliente contra estratégias de ataque. Na conclusão, traçamos algumas implicações para a teoria sociológica mais geral.

Palavras-chave


análise de redes sociais, crime organizado, tráfico de drogas, violência urbana, acoplagem social

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.17648/dilemas.v14n1.28173

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO: