Flows in a Female Penitentiary: Manoeuvring between Absence and Presence of Family Members

Natália Martino, Ludmila Ribeiro

Resumo


Em Fluxos em cadeias femininas: Manobras entre as ausências e presenças dos familiares, objetivamos compreender os fluxos existentes entre as mulheres presas e seus familiares por meio de pesquisa (quantitativa e qualitativa) realizada em uma penitenciária feminina de Belo Horizonte. A literatura desse campo aponta para uma alta porosidade entre a vida interna e externa às prisões, mas quando se trata de mulheres encarceradas, tais estudos ressaltam seu abandono. Argumentamos que não há abandono, mas reestruturação familiar que, apesar de muitas vezes não permitir visitas frequentes, viabiliza fluxos essenciais para garantir a sobrevivência da detenta — com muitas consequências para suas famílias.

Palavras-chave


encarceramento feminino, sobrevivência no cárcere, fluxos prisionais, reorganização familiar, seletividade criminal

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.17648/dilemas.v14n1.29417

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO: