Violência e performance no chamado ‘novo cangaço’: Cidades sitiadas, uso de explosivos e ataques a polícias em assaltos contra bancos no Brasil

Jania Perla Diógenes Aquino

Resumo


Neste texto analiso uma modalidade de roubos e furtos contra agências bancárias que tem ocorrido em todas as regiões do Brasil, cuja característica principal é a truculência das quadrilhas nas abordagens dos alvos. Devido às afrontas ao poder público, à audácia e ao tamanho das quadrilhas, essas ações criminais têm sido chamadas por jornalistas, agentes e delegados de polícia de “novo cangaço”, em alusão aos grupos de sertanejos que, na primeira metade do século XX, percorriam o Nordeste e norte de Minas Gerais, sitiando e saqueando cidades, vilas e fazendas, confrontando e abatendo forças policiais. Discutirei as características principais desses roubos e furtos, bem como a socialidade nas quadrilhas que organizam e executam estas investidas ilegais.

Palavras-chave


assaltos, roubos, violência, crime, quadrilha

Texto completo:

PDF XML


DOI: https://doi.org/10.17648/dilemas.v13n3.31668

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

               

APOIO: