Nem bandidos nem trabalhadores baratos: Trajetórias de jovens da periferia de Natal

Livia de Tommasi

Resumo


O artigo analisa a trajetória de jovens de um grupo de hip-hop na periferia de Natal, utilizando como ferramenta o conceito de ‘governamentalidade' tal como tratado por Foucault. A narrativa dos jovens revela como eles se movimentam entre múltiplas experiências urbanas, procurando fugir do destino de grupo ‘de risco' (tornar-se ‘mão de obra barata' ou criminosos) fazendo arte como forma de resistência. A análise propõe uma abordagem da juventude não como uma categoria analítica, um sujeito ou ator social, mas como um campo de intervenção que tem despertado interesse e recebido investimentos públicos e privados.

 

Neither Cheap Workforce nor Outlaws: Trajectories of Youngsters in the Outskirts of Natal examines the story of the young members of a hip-hop group in the Northeastern Brazil according to Foucault's concept of ‘governmentality'. Their narrative reveals the way they move between multiple urban experiences trying to escape from their fate as “risk group” (that is, to become “cheap workforce” or criminals), using art as a form of resistance. We approach youth less as an analytical category, a subject or a social actor and rather as a field of intervention that has attracted attention and received public and private investments.

 Key words: governmentality, youth, hip-hop, periphery, Natal

Palavras-chave


governamentalidade, juventude, hip-hop, periferia, Natal

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO: