Vivir y morir en el barrio: Lecturas morales de una muerte

Gabriel D. Noel

Resumo


A morte, pricipalmente quando é violenta, favorece a produção de interpretações por parte de participan­tes e testemunhas, ainda mais quando esta envolver uma figura que seja objeto de posicionamentos mo­rais antagônicos. Essas situações costumam dar lugar a um confronto moral que frequentemente atravessa toda a sociabilidade do cenário em que a morte teve lugar. O presente artigo se propõe a analisar confron­tos de vizinhança decorrentes da morte de um jovem pelas mãos de um vizinho próximo. Pretendemos mostrar como essa morte é contada e interpretada, e como essas narrativas distribuem responsabilidades e culpas como parte do funcionamento de uma eco­nomia moral da morte que constrói, ao mesmo tem­po que revela, os posicionamentos morais dos vivos.

 

Death, especially when a violent one, favors the pro­duction of interpretations by participants and witness­es, even more so when the death involves a character who is the object of antagonistic moral stances. Such situations tend to give way to moral confrontation often present in all aspects of social life in the setting of the death. The article Living and Dying in the Neighborhood: Moral Readings of a Death intends to examine confrontations between neighbors result­ing from the death of a youth at the hands of a close neighbor. We intend to show how such a death is told and interpreted, and how these narratives distribute responsibilities and blame as part of the functioning of a moral economy constructed by the death, while at the same time revealing the moral stances of the living.

Keywords: moralities, death, offence, violence, notions of justice


Palavras-chave


moralidades, morte, delito, violencia, noções de justiça

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO: