Filosofia como abertura de caminhos: contribuição ao processo de descolonização libertária do pensamento, (en)cruzando práticas políticas e conceituais.

Yan Gabriel Souza de Oliveira

Resumo


Este ensaio promove uma releitura de minha dissertação de mestrado (2019, sobre filosofia yanomami), impulsionada pela disciplina “Por um paradigma filosófico negro, indígena, decolonial e libertário”, cursada no primeiro semestre de doutorado (2021). Entrelaçando tais discussões com os objetivos da pesquisa atual: articular uma filosofia “exusíaca” para as perspectivas decoloniais e anarquistas, entendendo-as como elementos indissociáveis da práxis libertária e cosmopolítica. Compreendendo a filosofia enquanto prática criativa, procurei resumir conceitualmente os caminhos da dissertação, refletir (auto)criticamente sobre seus equívocos e lacunas e construir uma escrita dialógica, aberta e plural. Orientados pela metodologia dos “cruzos” (Simas & Rufino) ensaiamos uma dança teórica, no meio de uma encruzilhada conceitual e militante, onde “baixassem” as palavras de referências muito distintas entre si (sobretudo, Antônio Bispo dos Santos, Isabelle Stengers, Renato Noguera, Piotr Kropotikin, Wallace de Moraes, Pierre Clastres, Muniz Sodré, Mbah & Igariwey), aproximadas pela experiência do pensamento crítica e criativa de propor/abrir novos caminhos aos textos e práticas antirracistas, anticapitalistas e anticoloniais.


Palavras-chave


Contracolonização; Decolonialidade; Anarquismo; Filosofia Exusíaca; Cosmopolítica;

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Felipe; & CEPPAS, Filipe. (2017) A aula de filosofia como oficina de criação. In: Ideação: Revista do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas Filosóficas da Universidade Estadual de Feira de Santana, e-issn 2359 – 6384, Feira de Santana, Edição Especial – Dossiê Filosofia e Ensino, p. 51-68. http://periodicos.uefs.br/index.php/revistaideacao/issue/view/115/28

BENJAMIN, Walter. (2013) O capitalismo como religião. São Paulo: Boitempo Editorial.

BERNASCONI, Robert. (2002) Etnicidade, cultura e filosofia. In: BUNNIN, N. & TSUIJAMES, E. P. (orgs.); Compêndio de Filosofia. São Paulo: Ed. Loyola, p. 611-625.

CEPPAS, Filipe. (2014) Responsabilidade do ensino de filosofia nos trópicos. O professor-xamã. In: O que nos faz pensar: cadernos do departamento de filosofia da PUC-Rio. Rio de Janeiro, v. 23, n. 34, pp. 237-247. http://docplayer.com.br/65582858-Responsabilidade-do-ensino-de-filosofia-nos-tropicos-o-professor-xama.html

CLASTRES, Pierre. (2004) Arqueologia da violência – pesquisas de antropologia política. São Paulo: Cosac Naify.

CLASTRES, Pierre. (2013) A sociedade contra o Estado – pesquisas de antropologia política. São Paulo: Cosac Naify.

CÔMITE INVISÍVEL. (2017) Motim e destituição agora. São Paulo: n-1 edições.

DELEUZE, Gilles. (2013) Conversações. São Paulo: Editora 34.

DELEUZE, Gilles; & GUATTARI, Félix. (2011) O que é a filosofia?. São Paulo: Editora 34.

DELEUZE, Gilles; & GUATTARI, Félix. (2012a) Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol. 3. São Paulo: Editora 34.

DELEUZE, Gilles; & GUATTARI, Félix. (2012b) Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2, vol. 4. São Paulo: Editora 34.

FANON, Frantz. (2020) Pele negra, máscaras brancas. São Paulo: Ubu Editora.

GROSFOGUEL, Ramón. (2008) Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. In: Revista Crítica de Ciências Sociais. Coimbra (Portugal), v. 80 (Epistemologias do Sul), p. 115-147. https://rccs.revues.org/697#article-697

GROSFOGUEL, Ramón. (2016) A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios ao longo do século XVI. In: Revista Sociedade e Estado, v. 1, n. 1, p. 25-49. https://periodicos.unb.br/index.php/sociedade/issue/view/467

KOPENAWA, Davi; & ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Cia das Letras. https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4886744/mod_resource/content/1/A_QUEDA_DO_CEU.pdf

KROPOTKIN, Piotr. (2009) Ajuda mútua: um fator de evolução. São Sebastião: A Senhora Editora. https://otal.ifcs.ufrj.br/wp-content/uploads/2013/09/Ajuda-M%C3%BAtua-um-fator-de-evolu%C3%A7%C3%A3o-Piotr-Kropotkin.pdf

LANDER, Edgardo (org.). (2005) A colonialidade do saber, eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires (Argentina): CLACSO. http://biblioteca.clacso.edu.ar/ar/libros/lander/pt/lander.html

LIMA, Vladimir Moreira. (2019) A partir de Guattari 1: uma política da existência. Rio de Janeiro, Ponteio Edições.

LIMA, Vladimir Moreira; & GOLDMAN, Márcio. (2018) Entrevista: micropolítica e transformação social. In: Revista Novamerica, Rio de Janeiro, n. 159, p. 4-13. http://www.novamerica.org.br/ong/wp-content/uploads/2019/06/0159.pdf

LIMA, Tânia Stolze; & GOLDMAN, Márcio. (2013) Prefácio. In: CLASTRES, Pierre. Op. cit., p. 9-24;

MBAH, Sam; & IGARIWEY, I. E. (2018) Anarquismo africano: a história de um movimento. Rio de Janeiro: Rizoma Editorial.

MBEMBE, Achille. (2016) Necropolítica. In: Revista Arte & Ensaios, e-ISSN: 2448-3, Rio de Janeiro, n. 32, p. 123-147. https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/8993/7169

MORAES, Wallace dos Santos de. (2016) Teses da teoria política anarco-comunista – reflexões a partir do pensamento de Kropotkin. In: JOURDAN, Camila; & Wallace dos Santos de Moraes (orgs.). Teoria Política Anarquista e Libertária. Rio de Janeiro: Editora Via Vérita. https://drive.google.com/drive/folders/1GdLXXBM_jywWyYWcRQWr-eoajrmes-MC

MORAES, Wallace dos Santos de. (2020a) A Necrofilia Colonialista Outrocida (NCO) no Brasil. In: Portal Anarquista. https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2020/06/17/a-necrofilia-colonialista-outrocida-nco-no-brasil1/;

MORAES, Wallace dos Santos de. (2020b) Crítica à Estadolatria: contribuições da filosofia anarquista à perspectiva antirracista e decolonial. In: Teoliterária – Revista de Literaturas e Teologia. ISSN 2236 – 9937, Rio de Janeiro, v. 10, n. 21, O invisível e o indizível: interfaces entre fenomenologia, religião, política e narrativas, p. 54-78. https://revistas.pucsp.br/index.php/teoliteraria/issue/view/2461/320

MORAES, Wallace dos Santos de. (2021a) Aula sobre o pensamento de Davi Kopenawa sobre a paixão pela mercadoria do prof. Wallace de Moraes. https://www.youtube.com/watch?v=3nHb1CoXru4&t=3347s

MORAES, Wallace dos Santos de. (2021b) Necropolítica e Necrofilia Colonialista Outrocida – significados e usos corretos e incorretos. https://www.youtube.com/watch?v=XCqI4DqkEvQ&ab_channel=CPDELUFRJDecolonialLibert%C3%A1rioeAntirracista%21

MORAES, Wallace de. (s/data) Uma perspectiva decolonial libertária contra as necrofilias colonialistas outrocidas. In: https://drive.google.com/drive/folders/1GdLXXBM_jywWyYWcRQWr-eoajrmes-MC

NOGUERA, Renato. (2016) Sociedades de controle e o grito de Eric Garner: o racismo antinegro do cogito da mercadoria na (através da) filosofia de Deleuze. In: Revista Trágica: estudos de filosofia da imanência. Rio de Janeiro, v. 9, n.1, p. 47-65. https://revistas.ufrj.br/index.php/tragica/article/view/26641

QUIJANO, Aníbal. (2005) Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In:

LANDER, Edgardo, Op. cit., p. 227-278.

RAMOSE, Mogobe B. (2011) Sobre a legitimidade e o estudo da filosofia africana. In: Ensaios Filosóficos. Rio de Janeiro, vol. IV, p. 5-25. http://www.ensaiosfilosoficos.com.br/Artigos/Artigo4/RAMOSE_MB.pdf

RUFINO, Luiz. (2019) Pedagogia das Encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula.

SANTOS, Antônio Bispo dos. (2015) Colonização, Quilombos. Modos e significações. Brasília: INCTI, UnB, INCT, CNPq e MCTI, jun 2015. https://docero.com.br/doc/xscsc08

SANTOS, Antônio Bispo dos. (2017) Mesa de abertura: ‘Um (in)desejável mundo por vir: possibilidades de descolonização do presente e de contracolonização permanente’ (Fala do autor está entre 6’36”/24’10” do vídeo que contém a íntegra do debate com Eduardo Viveiros de Castro e Rita Segato). In: SEMINÁRIO DOS ALUNOS DO PPGAS-MN/UFRJ, VII, 2017, Rio de Janeiro. https://www.facebook.com/radioyande/videos/1305543672888604/

SIMAS, Luiz Antônio; & RUFINO, Luiz. (2018) Fogo no mato: a ciência encantada das macumbas. Rio de Janeiro: Mórula, 2018. https://cloudflare-ipfs.com/ipfs/bafykbzaceckd4h5f2jtg6uozxnxtq2ixkgtfrpyna7ffd6msgghh5hft7zlls?filename=Luiz%20Antonio%20Simas%20e%20Luiz%20Rufino%20-%20A%20Ci%C3%AAncia%20Encantada%20das%20Macumbas-M%C3%B3rula%20%282018%29.pdf

SIMAS, Luiz Antônio; & RUFINO, Luiz. (2019) Flecha no Tempo. Rio de Janeiro: Mórula.

SIMAS, Luiz Antônio; RUFINO, Luiz. (2020) Encantamento (sobre política de vida). Rio de Janeiro: Mórula. https://morula.com.br/wp-content/uploads/2020/05/Encantamento.pdf

SODRÉ, Muniz. (2017) Pensar Nagô. Petrópolis: Vozes.

STENGERS, Isabelle. (2015) No tempo das catástrofes – resistir à barbárie que se aproxima. São Paulo: Cosac Naify. https://www.professores.uff.br/ricardobasbaum/wp-content/uploads/sites/164/2020/05/Stengers_No_tempo_das_catastrofes_.pdf

STENGERS, Isabelle; PIGNARRE, Philippe. (2011) Capitalist Sorcery. Breaking the Spell. Nova York (EUA), Palgrave Macmillan.

http://xenopraxis.net/readings/stengers_capitalistsorcery.pdf

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. (2015) Metafísicas Canibais. São Paulo: Cosac Naify.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Revista Estudos Libertários

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.