Revista Mulemba v. 13 n. 25 (jul.-dez. 2021)

Título do dossiê: Instituições, campos, sistemas e circulação (trans)nacional das literaturas africanas

Organizadores:

Andréa Borges Leão (Universidade Federal do Ceará)

Marcello G. P. Stella (Universidade de São Paulo)

Maria-Benedita Basto (Université Paris-Sorbonne, Paris IV)

Nazir Ahmed Can (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

Ricardo Luiz Pedrosa Alves (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

 

Prazo para submissão dos originais: 31 de julho de 2021

Publicação prevista para 31 de dezembro de 2021


Ementa:

a) Relações entre textos e instituições, b) Discussões relativas à dependência estrutural (ou não) dos espaços literários africanos de língua portuguesa face às instâncias de legitimação internacional, c) Estudos sobre instituições de promoção, recepção e pesquisa das literaturas africanas, especialmente no Brasil e em Portugal (mas não apenas), d) Levantamento crítico de prêmios literários e outras instâncias de consagração, como feiras e festivais, dentro e fora dos espaços de língua portuguesa, e) Pesquisas sobre mercado editorial, perfis editoriais, circulação na imprensa (entrevistas, resenhas), f) Consolidação de campos literários africanos e sua relação com a emergência dos Estados Nação (por exemplo, diferenças e convergências entre FRELIMO e MPLA), g) Histórias da recepção das literaturas africanas, envolvendo também trajetórias de pesquisadores(as) e seus aparatos críticos, h) Aspectos da circulação nacional e transnacional das literaturas africanas de língua portuguesa, i) Noções analíticas como as identitárias e as diaspóricas, e paradigmas investigativos, como os nacionais e os internacionais, a exemplo das literaturas do Sul Global, do Atlântico negro e da Literatura mundial (como na noção de um campo literário internacional), j) Debates sobre cânone e suas desconstruções, inclusive nas dinâmicas de local e universal, k) Investigações sobre campos literários nacionais africanos (Mouralis) e sistemas literários (Candido), a exemplo dos estudos sobre grupos literários, associações nacionais e interlocuções internacionais, l) Discussão/revisão de noções como Palop ou de lusofonia como comunidade, m) Temas como tradução e políticas de tradução, n) Estudos de trajetória social e literária de escritores, editoras e literaturas, o) Pesquisas sob o escopo das ciências sociais acerca das literaturas africanas de língua portuguesa, p) Investigações quanto à resistência à institucionalização, pensando a literatura como instituição “estranha” (Derrida), isto é, enquanto instituição autorizada a “dizer tudo”, logo dependente da democracia, q) Análises das manifestações de autoconsciência dos/as escritores/as e das obras diante dos vários aspectos da atividade literária, r) Reflexão sobre as ferramentas heurísticas de campo, sub-campo e heteronímia (Bourdieu), "símile-campo" (Poliak) e redes literárias (Marneffe e Denis), seus limites, possibilidades e articulações, s) Relação entre as instituições literárias e o desenvolvimento e/ou apagamento de gêneros literários, t) Relações entre língua e poder nos contextos africanos, heranças imperiais na institucionalização e formação das literaturas africanas, u) As lógicas do campo literário em relação a outros campos artísticos.

Palavras-chave: instituições literárias; literaturas africanas; campo literário; circuitos literários