Entre disciplinados e ultrajados: corpos em transe/trânsito em ‘Os olhos da cobra verde’, de Lilia Momplé

Jorge Vicente Valentim

Resumo


Pretende-se, aqui, apresentar uma breve leitura de contos de Lilia Momplé, extraídos de sua obra Os olhos da cobra verde (1997), procurando observar a incidência de representações de corpos, seja pelo viés da disciplinaridade, seja pelo signo do ultraje e da insubmissão.


Palavras-chave


corpos ultrajados; ficção moçambicana; Lilia Momplé.

Texto completo:

PDF

Referências


FONSECA, Maria Nazareth Soares. Velho e velhice nas literaturas africanas de língua portuguesa. In: __________. Literaturas Africanas de Língua Portuguesa: percursos da memória e outros trânsitos. Belo Horizonte: Veredas & Cenários, 2008, p. 131-149.

HUTCHEON, Linda. Poética do Pós-Modernismo. História – Teoria – Ficção. Tradução de Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

LEITE, Ana Mafalda. Literaturas Africanas e Formulações Pós-Coloniais. Lisboa: Edições Colibri, 2003.

MACHEL, Samora. A libertação da mulher é uma necessidade da Revolução, garantia da sua continuidade, condição do seu triunfo (1973). In: __________. A luta continua. Antologia de discursos do Presidente da FRELIMO. Introdução e organização de José A. Salvador. Porto: Afrontamento, 1974, p. 55-72.

MATA, Inocência. A condição pós-colonial das literaturas africanas de língua portuguesa: algumas diferenças e convergências e muitos lugares-comuns. In: LEÃO, Angela Vaz (org.). Contatos e ressonâncias: literaturas africanas de língua portuguesa. Belo Horizonte: Editora PUC-Minas, 2003, p. 43-72.

MATA, Inocência. A literatura africana e a crítica pós-colonial: reconversões. Luanda: Editorial Nzila, 2007.

MATA, Inocência. Localizar o “Pós-colonial”. In: GARCIA, Flávio e MATA, Inocência (orgs.). Pós-Colonial e Pós-Colonialismo: Propriedades e Apropriação de Sentidos. Rio de Janeiro, Dialogarts, 2016, p. 32-50.

MATA, Inocência. Mulheres de África no espaço da escrita: a inscrição da mulher na sua diferença. In: MATA, Inocência e PADILHA, Laura Cavalcante (org.). A mulher em África. Vozes de uma margem sempre presente. Lisboa: Edições Colibri, 2007, p. 421-440.

MOMPLÉ, Lília. Encontro com Lilia Momplé. In: LABAN, Michel. Moçambique – encontro com escritores. Porto: Fundação Engenheiro António de Almeida, 1998, vol. II, p. 581-597.

MOMPLÉ, Lilia. Os olhos da cobra verde. Maputo: Associação dos Escritores Moçambicanos, 1997.

NOA, Francisco. Perto do fragmento, a totalidade. Olhares sobre a literatura e o mundo. São Paulo: Kapulana, 2015.

NOA, Francisco. Uns e outros na literatura moçambicana. Ensaios. São Paulo: Kapulana, 2017.

OWEN, Hilary. Mother Africa, father Marx: Women’s writing of Mozambique – 1948-2002. Lewisburg: Bucknell University Press, 2007.

PADILHA, Laura Cavalcante. Entre voz e letra. O lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX. Niterói: EdUFF, 1995.

PADILHA, Laura Cavalcante. Novos pactos, outras ficções. Ensaios sobre literaturas afro-luso-brasileiras. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2002.

QUIVE, Eduardo. “Ninguém matou Suhura”. In: Revista Literatas. Maputo: Associação Movimento Literário Kuphaluxa, 2011. Disponível em https://revistaliteratas.blogspot.com/2011/04/lilia-momple-voz-que-expende.html?showComment=1549909589575#c1316113313397229005. Acesso em 29 de janeiro de 2019.

REX, John. A oralidade escrita, ou a voz continuadora da matriarca africana em Lilia Momplé e Ama Atta Aidoo. In: MATA, Inocência e PADILHA, Laura Cavalcante (org.). A mulher em África. Vozes de uma margem sempre presente. Lisboa: Edições Colibri, 2007, p. 441-467.

SOUZA, Larissa da Silva Lisboa. Corpos ultrajados e suas representações em crônicas de Ana Paula Tavares. São Carlos: Programa de Pós-Graduação em Estudos de Literatura da UFSCar, 2016.

VALENTIM, Jorge Vicente. Representações da ancestralidade na ficção breve de Mia Couto. In: Revista de Estudos Literários 5. Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 2015, p. 395-414.




DOI: https://doi.org/10.35520/mulemba.2019.v11n20a24500

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Mulemba

Indexadores e bases bibliográfcias:
Periódicos Capes Latindex Diadorim EZB Google Acadêmico  DRJI  Livre Base  Sudoc Worldcat HNU  InfoGuide 


Licença Creative Commons
A Revista Mulemba utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.