Raízes do micondó, de Conceição Lima: construções identitárias para além da estabilização

Hector Rodrigues Feltrin

Resumo


Partindo da análise do poema “Canto obscuro às raízes”, inserido no segundo livro de poemas publicado pela são-tomense Conceição Lima, conduzimos uma reflexão sobre como o lirismo aí presente se relaciona de modo singular com uma busca por matrizes identitárias. Lançando mão da problematização de Gayatri Spivak, no que tange à representação do sujeito subalterno, procuramos demonstrar como a poeta evita incorrer em um discurso de estabilização, conseguindo evidenciar a identidade do grupo subalterno, ou seja, sua própria diferença, sem investir em uma proposta estabilizadora.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.35520/mulemba.2019.v11n21a31273

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Mulemba

Indexadores e bases bibliográfcias:
Periódicos Capes Latindex Diadorim EZB Google Acadêmico  DRJI  Livre Base  Sudoc Worldcat HNU  InfoGuide 


Licença Creative Commons
A Revista Mulemba utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.