Ser mulher e negra nas Áfricas. Combates feministas nas literaturas

Catarina Caldeira Martins

Resumo


A partir de romances de autoria de mulheres africanas de língua portuguesa, inglesa e francesa, interroga-se o significado de ser mulher e negra em diferentes contextos das diásporas e de África, em articulação com as identidades nacionais.


Palavras-chave


mulheres negras, literaturas africanas, nacionalismo, feminismos

Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Americanah. London: Fourth Estate, 2013.

BEYALA, Calixthe. Femme nue, Femme noire. Paris: Albin Michel, 2003.

BOEHMER, Elleke. Stories of Women. Gender and Narrative in the Postcolonial Nation. Manchester and New York: Manchester UP, 2005.

BUGUL, Ken. La Folie et la Mort. Paris e Dakar: Présence Africaine, 2000.

CARDOSO, Cláudia. Amefricanizando o feminismo: o pensamento de Lélia Gonzalez.

Estudos Feministas, Florianópolis, 22(3): 320, p. 965-986, setembro-dezembro 2014.

CARNEIRO, Sueli. Movimento Negro no Brasil: Novos e Velhos Desafios. Caderno crh,

Salvador, n. 36, p. 209-215, jan./jun. 2002. Disponível online em: https://www.geledes.org.br/movimento-negro-no-brasil-novos-e-velhos-desafios-por-sueli-carneiro/ Acesso em 12. Out. 2017.

CHIZIANE, Paulina. O Alegre Canto da Perdiz. Lisboa: Caminho, 2008.

El-TAYEB, Fatima. European others. Queering ethnicity in postnational Europe. Minneapolis, University of Minnesota Press, 2011.

EMECHETA, Buchi. The Joys of Motherhood. London: Heinemann, 2008 [1979].

GONZALEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, p. 223-244, 1984.

KADJIMBO, Luís. Breves reflexões sobre a Geração das Incertezas. A Geração literária angolana do período pós-independência (1980-2001). Textos e Pretextos, Lisboa, nº 19 (Angola. Poesia e Prosa), p. 27-37, 2015.

LUGONES, Maria. Toward a Decolonial Feminism. Hypatia, v. 25, nº 4, p. 742-759, 2010.

MARTINS, Catarina. “La Noire de…” tem nome e tem voz. A narrativa de mulheres africanas anglófonas e francófonas para lá da Mãe África, dos nacionalismos anticoloniais e de outras ocupações, e-cadernos ces [Online], 12 | 2011, Disponível online em: http://eces.revues.org/711 . Consultado a 27 de Fevereiro de 2014.

MARTINS, Catarina. O lugar do “afro”: feminismos negros vs feminismos africanos”. Revista Feminismos, vol. 6, nº 2, p. 4-18, 2018.

MARTINS, Catarina. Desalinhar abismos no reverso do moderno: perspetivas feministas

pós-coloniais para um ‘pensamento alternativo das alternativas’. In: SOUSA SANTOS Boaventura, SENA MARTINS, Bruno (org.). O Pluriverso dos Direitos Humanos: A diversidade das lutas pela dignidade. Belo Horizonte: Autêntica, p. 485-507, 2019.

MCFADDEN, Patricia. Contemporarity: Sufficiency in a Radical African Feminist Life.

Meridians: feminism, race, transnationalism, vol. 17, nº 2, November, p. 415-431, 2018.

MENDONÇA, Fátima. Literaturas Emergentes, Identidades e Cânone. In RIBEIRO, Margarida e MENESES, Paula (org.). Moçambique: das palavras escritas. Porto: Afrontamento, p. 19-33. 2008.

MONTEIRO, Yara. Essa dama bate bué. Lisboa: Guerra e Paz, 2018.

NOA, Francisco. Literatura Moçambicana: os trilhos e as margens. In: RIBEIRO, Margarida e MENESES, Maria Paula (org.). Moçambique: das palavras escritas. Porto: Afrontamento, p. 35-45, 2008.

OWEN, Hilary. Mother Africa, Father Marx. Women’s Writing of Mozambique 1948-2002. Lewisburg: Bucknell University Press, 2007.

OYEWÙMÍ, Oyerónké. Conceptualising Gender: Eurocentric Foundations of Feminist Concepts and the Challenge of African Epistemologies. In: ARNFRED S. et al. (org.). African Gender Scholarship: Concepts, Methodologies and Paradigms. Dakar: Codesria, p. 1-8, 2004.

SELASI, Taiye. Bye Bye Babar. LIP Magazine. 3 March 2005. Disponível em http://thelip.robertsharp.co.uk/?p=76 . Consultado a 5 de Fevereiro de 2020.

SELASI, Taiye. Ghana must go. New York: The Penguin Press, 2013.

SOUSA, Noémia. Sangue Negro. São Paulo: Kapulana, 2016.

STRATTON, Florence. Contemporary African Literature and the Politics of Gender. London and New York: Routledge, 1994.

TAVARES, Paula. Ritos de Passagem. Lisboa: Caminho, 2007.




DOI: https://doi.org/10.35520/mulemba.2020.v12n22a39822

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Mulemba

Indexadores e bases bibliográfcias:
Periódicos Capes Latindex Diadorim Sumários.org  EZB Google Acadêmico  DRJI  Livre Base  Sudoc Worldcat HNU  InfoGuide 


Licença Creative Commons
A Revista Mulemba utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.