A violência da poesia. Análise de Cela 1 de José Craveirinha

Maria da Graça Gomes de Pina

Resumo


Embora contenha alguns poemas escritos durante a sua prisão pela PIDE-DGS, que durou de 1965 a 1969, a obra poética Cela 1 (1980) de José Craveirinha pode ser considerada um exemplo para mostrar que a privação da liberdade pessoal não impede necessariamente o fluir da voz da denúncia, podendo contribuir também para reforçar o ideal de nação pelo qual a sua geração combateu. Redigidos em boa parte durante o período prisional, mas não só, os poemas de José Craveirinha pertencentes a Cela 1 demonstram-nos duas tipologias de violência que podem ser lidas entrelinhas: a que leva a que o autor seja encarcerado e a que remete para a própria violência da linguagem como forma de resistência, ou seja, de certa forma, estes poemas parecem ser a desconstrução verbal dos momentos cronológicos que se intersectam com a escolha de vida do autor.


Texto completo:

PDF

Referências


CÂNDIDO, Marcelo. De pé sobre os escombros – José Craveirinha e o mundo colonial em Xigubo. In: LIMA, Rogério da Silva et alii. Anais eletrônicos do XVI Congresso Internacional Abralic. 2019, p. 4822-4831. http://www.abralic.org.br/anais/arquivos/2019_1576867520.pdf, Acesso em 03/07/2020.

CHAVES, Rita. José Craveirinha, da Mafalala, de Moçambique, do mundo. Via Atlântica. N.° 3, (dez. 1999), p. 140-168. http://www.periodicos.usp.br/viaatlantica/article/download/49014/53092, Acesso em 27/02/2020.

COELHO, João Paulo Borges. Writing in a Chaging World: The Difficult Relationship Reality. Luso-Brazilian Review. Vol. 50, N.º 2 (2013), p. 21-30. http://www.jstor.com/stable/43905280, Acesso em 30/06/2020.

COLLEMACINE, Joan E. A Look at African Literature in the Portuguese Language. Africa: Rivista trimestrale di studi e documentazione dell’Istituto italiano per l’Africa e l’Oriente. Anno 32, N.° 2 (1977), p. 283-292. http://www.jstor.com/stable/40758757, Acesso em 30/06/2020.

CORTEZ, Maria de Lourdes. The Edge of Discourse: Bodies and Rhythms in the Poetry of Craveirinha. Portuguese Studies. Vol. 9 (1993), p. 189-99. http://www.jstor.com/stable/41104984 Acesso em 30/07/2020.

CRAVEIRINHA, José. Cela 1. Lisboa: Edições 70, 1980.

CRAVEIRINHA, José. Obra Poética I. Lisboa: Caminho, 1999.

CRAVEIRINHA, José. Poemas da Prisão. Lisboa: Texto Editores, 2004.

HAMILTON, Russell G. Language and Literature in Portuguese-Writing Africa. Portuguese Studies, Vol. 2 (1986), p. 196-207. http://www.jstor.com/stable/41104822, Acesso em 28/07/2020.

HONWANA, Luís Bernardo. The Role of Poetry in the Mozambican Revolution. Lotus: Afro-Asian Writing, 8 (1971), p. 148-166. http://www.jstor.com/stable/4185006, Acesso em 30/06/2020.

HUGHES, Heather. Protest Poetry in Pre-Independence Mozambique and Angola. English in Africa. Vol. 4, N.° 1 (mar. 1977), p. 18-31. http://www.jstor.com/stable/40238387, Acesso em 02/08/2020.

LEITE, Ana Mafalda. A Poética de José Craveirinha. Lisboa: Veja, 1991.

LEITE, Ana Mafalda. Tópicos para uma História da Literatura Moçambicana. In: RIBEIRO, Margarida Calafate; MENESES, Maria Paula (orgs.). Moçambique. Das Palavras Escritas. Porto: Edições Afrontamento, 2008, p. 47-75.

LEITE, Ana Mafalda. Cenografias Pós-coloniais & Estudos sobre Literatura Moçambicana. Lisboa: Edições Colibri, 2018.

LIMA, Isabel Pires de. Amores e desamores em torno da língua: para uma antologia do canto poético à língua portuguesa. Grial. T. 50, N.º 50 (out.-dec. 2012), p. 102-107. http://www.jstor.com/stable/44739826, Acesso em 04/08/2020.

MENDONÇA, Fátima. O conceito de nação em José Craveirinha, Rui Knopfli e Sérgio Vieira. AA. VV. Les Litteratures Africaines de Langue Portugaise. Actes du Colloque International. Paris: Fondation Calouste Gulbenkian, 1985, p. 385-395.

MITRAS, Luís R. ‘America’ in the Poetry of José Craveirinha: The Mirrot of an Imaginary Other. English in Africa, Vol. 31, N.° 1 (May 2004), p. 121-38. http://www.jstor.com/stable/40239003, Acesso em 30/06/2020.

NGALE, Samuel J. Civil Religious Dynamics in José Craveirinha’s Aesthetisised Nationalism. Journal for the Study of Religion. Vol. 27, N.° 2 (2014), p. 25-42. http://www.jstor.com/stable/10.2307/24799444, Acesso em 12/07/2020.

NOA, Francisco. Literatura Moçambicana: os trilhos e as margens. In: RIBEIRO, Margarida Calafate; MENESES, Maria Paula (orgs.). Moçambique: Das Palavras Escritas. Porto: Edições Afrontamento, 2008, p. 35-45.

PADILHA, Laura Cavalcante. Tradition and the Effects of the New in Modern African Fictional Cartography. Research in African Literatures. Vol. 38, N.° 1 (Spring 2007), p. 106-118. http://www.jstor.com/stable/4618357, Acesso em 12/07/2020.

PEREIRA, Rui. Antropologia aplicada na política colonial portuguesa do Estado Novo. Revista Internacional de Estudos Africanos. N.os 4/5 (Jan-Dez. 1986), p. 191-236.




DOI: https://doi.org/10.35520/mulemba.2021.v13nEsp.a51057

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Revista Mulemba

Indexadores e bases bibliográfcias:
Periódicos Capes Latindex Diadorim EZB Google Acadêmico  DRJI  Livre Base  Sudoc Worldcat HNU  InfoGuide 


Licença Creative Commons
A Revista Mulemba utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.