AMPLIANDO A DIVERSIDADE NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ATRAVÉS DE UM CURSO PREPARATÓRIO

Ampliando o acesso à pós-graduação em Ecologia

Authors

  • Amanda Souza dos Santos Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Laboratório de Ecologia Vegetal, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-1467-5223
  • Verônica Marques Feliciano da Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Laboratório de Ecologia Vegetal, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0003-4156-6062
  • Gabriel Soares Figueiredo Barros Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil Universidade Federal Fluminense, Departamento de Biologia Marinha, Laboratório de Ecologia e Conservação de Ambientes Recifais, Rua Professor Marcos Waldemar de Freitas, s/n, Campus Gragoatá, Bloco M, São Domingos, Niterói, CEP:24410-201, Rio de Janeiro, Brasil http://orcid.org/0000-0002-3832-177X
  • Guilherme Gama Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Laboratório de Ecologia Vegetal, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-5165-478X
  • Carolina Leão Souza e Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Laboratório de Vertebrados, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-9359-5079
  • Tauany Rodrigues 5Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Laboratório de Limnologia, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0003-2778-7221
  • Bruno Umbelino 4 Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Laboratório de Vertebrados, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-7602-8400
  • Rafael dos Santos Reis Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Zoologia. Laboratório TaxoN (Laboratório de Polychaeta), Av. Carlos Chagas Filho 791. Antigo Polo Biorio - Prédio Compartilhado, Ilha do Fundão, CEP: 21941-599, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-3159-1187
  • Pedro Paulo da Silva Ferreira Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Biologia, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Laboratório de Ecologia Vegetal, Avenida Carlos Chagas Filho, 373, Cidade Universitária, Ilha do Fundão, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro, RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0002-7602-5875

Abstract

A Lei de Cotas ampliou o acesso de pessoas negras e de baixa renda às universidades, entretanto a pós-graduação permanece sendo um gargalo para a trajetória acadêmica destes grupos. O Programa de Pós-Graduação em Ecologia (PPGE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro é um retrato desta situação, com um corpo discente e docente majoritariamente branco. Neste estudo, compartilhamos os resultados obtidos com um curso preparatório para o exame de seleção do programa direcionado para autodeclarados de baixa renda e/ou negros. O curso foi realizado remotamente, com resolução de questões de exames anteriores mediada pelos discentes do PPGE. O índice de aprovação dos inscritos no curso foi de 67%. A iniciativa do curso preparatório, principalmente se apoiada por ações afirmativas, é uma importante ferramenta para ampliar o acesso de grupos minorizados à pós-graduação. Entretanto, para garantir inclusão e justiça social, é preciso considerar também estratégias de permanência para estes grupos.

The Brazilian Affirmative Action Law expanded access to universities for Black and low-income people. However, postgraduate studies remain as a bottleneck in the academic path for these groups. The Ecology Postgraduate Program (PPGE) at the Universidade Federal do Rio de Janeiro reflects this situation, with predominantly white students and professors. In this study, we share the results obtained from a preparatory course for the program’s selective exams directed to low-income and/or Black individuals. The course was conducted remotely, with students from the PPGE assisting in solving previous exam questions. The pass rate for the course was 67%. The initiative of the preparatory course, especially if supported by affirmative actions, is an important tool to broaden access for marginalized groups to postgraduate education. However, to ensure inclusion and social justice, strategies for the permanence of these groups must also be considered.

Downloads

Additional Files

Published

2024-02-08

Issue

Section

Short communication