O materialismo histórico e a superação metodológica da prerrogativa moral

Henrique Wellen

Resumo


Como herdeiro da filosofia iluminista alemã, Marx constituiu não apenas uma nova forma de relacionar teoria e prática, mas principiou uma nova modelação na análise acerca da história humana, que se estabeleceu pela gradativa superação das prerrogativas morais. Numa interposição materialista entre dever-ser e vir-a-ser, Marx produziu um método fundado nas mediações concretas derivadas das possibilidades sociais que, de forma primária, advêm do trabalho humano. Apresentam-se algumas dessas determinações acerca da constituição do materialismo histórico e, em especial, na sua relação com complexos valorativos.

Palavras-chave


Karl Marx; Materialismo Histórico; Idealismo; Moral; Trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


ABRÃO, Baby; COSCODAI, Mirtes. História da Filosofia. São Paulo: Best Seller, 2002.

ANDERSON, Perry. As antinomias de Gramsci. In: Revista Crítica Marxista. N. 01, São Paulo: 1986. (p. 07 -- 74).

AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. São Paulo: Expressão popular, 2011.

BECKETT, Samuel. Esperando Godot. 2 ed. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

BERLIN, I. O porco-espinho e a raposa. In: BERLIN, I. Pensadores Russos. Companhia das Letras: São Paulo, 1988.

CARLI, R. A estética de Gy¶rgy Lukács e o triunfo do realismo na literatura. Rio de Janeiro: EDUFRJ, 2012.

CHAGAS, Eduardo F.; REDYSON, Deyve. Apresentação. In: FEUERBACH, Ludwig. Para a crítica da filosofia de Hegel. Edição bilíngue. São Paulo: LiberArs, 2012.

DAWKINS, Richard. A Magia da Realidade: como sabemos o que é verdade. São Paulo: Cia das Letras, 2012.

ENGELS, Friedrich. Engels to Margaret Harkness. In: MARX, K.; ENGELS, F. Collected Works. V.:48: letters 1887-1890 London: Lawrence & Wishart, 2010.

_______. Ludwig Feuerbach e o Fim da Filosofia Clássica Alemã. In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Obras escolhidas. Vol. 03. São Paulo: Alfa-Omega, s/d.

_______. Discurso diante da sepultura de Marx. In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Obras escolhidas. Vol. 02. São Paulo: Alfa-Omega, s/d.

FEUERBACH, Ludwig. A essência do cristianismo. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

___________. Para a crítica da filosofia de Hegel. Edição bilíngue. São Paulo: LiberArs, 2012.

___________. La esencia de la religión. Madrid: Paginas de Espuma, 2005.

FRAGA, Paulo Denisar Vasconcelos. A teoria das necessidades em Marx: da dialética do reconhecimento à analítica do ser social. Dissertação de Mestrado em Filosofia na Unicamp. Campinas, 2006.

FREDERICO, Celso. O jovem Marx: as origens da ontologia do ser social. São Paulo: Cortez, 1995.

GOETHE, Johann Wolfgang. Fausto: uma tragédia. Segunda parte. São Paulo: Editora 34, 2007.

________. Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2006.

________. Fausto: uma tragédia. Primeira parte. São Paulo: Editora 34, 2004.

________. Fausto Zero. São Paulo: Cosac e Naify, 2001.

________. Os sofrimentos do jovem Werther. 4 ed. São Paulo: Estação Liberdade, 1999.

GIANNOTTI, José Arthur. Origens da dialética do trabalho. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1966.

GRAMSCI, A. A concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1988.

_________. Quaderni del carcere. 4 v. Torino: Einaudi, 1975.

JOYCE, James. Ulysses. São Paulo: Peguin Classic, Companhia das Letras, 2012.

KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

KLIGER, I. The Narrative Shape of Truth: Verediction in Modern European Literature. EUA: The Pennsylvania State University Press, 2011.

LESSA, Sérgio. Para compreender a Ontologia de Lukács. 4 ed. São Paulo: Instituto Lukács, 2015.

LUKÁCS, Gy¶rgy. Introdução aos escritos de Marx e Engels. In: LUKÁCS, Gy¶rgy. Arte e sociedade: escritos estéticos 1932 - 1967. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

________. Pósfácio. In: GOETHE, Johann Wolfgang. Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2006.

________. Prefácio. In: LUKÁCS, Gy¶rgy. História e Consciência de Classe: estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003. (col. Tópicos).

________.Realismo crítico hoje: abordagem de um dos problemas mais graves e fascinantes do nosso tempo: a relação entre o marxismo e as artes.2 ed. Brasília: Thesaurus, 1991.

________. Ontologia do ser social: a falsa e a verdadeira ontologia de Hegel. São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

________.Trata-se do Realismo! In: BARRENTO, João (org.). Realismo, materialismo, utopia: uma polêmica 1935 -- 1940. Lisboa: Moraes editores, 1978.

________.Goethe y su epoca. Barcelona -- Mexico: Grijalbo, 1968.

________.El Asalto a la Razón: La trayectoria del irracionalismo desde Schelling hasta Hitler. México -- Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 1959.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845 -- 1846). São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos de 1844. In: MARX, Karl. Cadernos de Paris & Manuscritos Econômico-Filosóficos de 1844. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

______. Contribuição à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel. Introdução. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

______. O Capital: crítica da economia política. Livro primeiro (O processo de produção do capital). Vol I. 2 ed. São Paulo: Nova Cultural, 1985. (col. Os economistas).

MAZZARI, Marcus Vinicius. Apresentação. In: GOETHE, Johann Wolfgang. Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2006.

NASCIMENTO, Rodnei. A sociedade civil e o jovem Marx. In: Cadernos de Filosofia Alemã. São Paulo: n. 01, 1996 (p. 55 -- 67).

RÖHRING, Christine. Levar a mensagem a Garcia. In: GOETHE, Johann Wolfgang. Fausto Zero. São Paulo: Cosac e Naify, 2001.

SARTORI, Vitor Bartoletti. De Hegel a Marx: da inflexão ontológica à antítese direta. In: Kriterion. Belo Horizonte: n. 130, dez/2014. (p. 691 -- 713).

TEIXEIRA, Francisco José S. Trabalho e Valor: contribuição para a crítica da razão econômica. São Paulo: Cortez, 2004.

VERÍSSIMO, Luis Fernando. A mesa voadora. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

WELLEN, Henrique. Gy¶rgy Lukács e a categoria da reificação: crítica e autocrítica em “História e Consciência de Classe”. In: VEDDA, Miguel; COSTA, Gilmaisa; ALCÂNTARA, Norma. Anuário Lukács 2016. São Paulo: Instituto Lukács, 2016.




Direitos autorais 2019 Revista Praia Vermelha

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR