A culpabilização dos pobres e suas bases ideológicas na contemporaneidade

Amanda Eufrásio

Resumo


Aproximações teóricas aos significados do neoconservadorismo, mais especificamente, aos fundamentos do conservadorismo moral que “ronda” as análises sobre a questão social, disseminando-se, sob as mais variadas formas de discriminação social. Estudo bibliográfico de alguns elementos que constituem as bases ideológicas de uma prática frequente no Brasil recente, as manifestações preconceituosas contra pessoas pobres por meio de críticas ao Programa Bolsa-Família. Como resultados iniciais dessa investigação, destacamos que a ideologia conservadora, nascida há séculos atrás, tem se revigorado nos tempos recentes incorporando princípios neoliberais em seu conteúdo.


Palavras-chave


neoconservadorismo; moralismo; Bolsa-Família

Texto completo:

PDF

Referências


BARROCO, M. L. S. Barbárie e neoconservadorismo: os desafios do projeto ético-político. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo: Cortez, n. 106, p. 205-218, abr./jun., 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2014.

_______________________ Esboço de uma crítica do neoconservadorismo ético-político em Friedrich A. Hayek. Revista Novos Rumos, Marília: Unesp, v. 50, n. 1, p. 1-17, jan./jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2016.

___________________ Não passarão! Ofensiva neoconservadora e Serviço Social. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo: Cortez, n. 124, p. 623-636, out./dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 mai. 2017.

CARLOTO, C.; MARIANO, S. Empoderamento, trabalho e cuidados: mulheres no programa bolsa família. Revista Textos & Contextos. Porto Alegre: Puc-RS, v. 11. n. 2, p. 258-272, ago./dez. 2012. Disponível em: < http://revistaseletronicas.pucrs.br>. Acesso em: 04 abr. 2017.

CASTRO et. al. Percepções sobre o Programa Bolsa Família na sociedade brasileira. Revista Opinião Pública. Campinas: Unicamp- CESOP, v. 15, n. 2, p. 333-355. Nov., 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/op/v15n2/03.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2015.

COUTINHO, C. N. O estruturalismo e a miséria da razão. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

COUTINHO, J. P. As ideias conservadoras explicadas a revolucionários e reacionários. São Paulo: Três Estrelas, 2014.

_______________ Dez notas para a definição de uma direita. In: COUTINHO, J. P.; PONDÉ, L. F.; ROSENFIELD, D. Por que virei à direita- três intelectuais explicam sua opção pelo conservadorismo. São Paulo: Três Estrelas, 2012. p. 24-49.

DALRYMPLE, T. A vida na sarjeta: o círculo vicioso da miséria moral. São Paulo: É Realizações, 2014.

GANEM, A. Hayek: da teoria do mercado como ordem espontânea ao mercado como fim da história. Revista Política & Sociedade. Florianópolis: UFSC, v. 11, n. 22, p. 93-117. Nov., 2012. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/view/2175-7984.2012v11n22p93>. Acesso em: 31 jan. 2017.

HAYEK, F. A. Os fundamentos da liberdade. São Paulo: Visão, 1983.

_________________ O caminho da servidão. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 1994.

KIRK, R. A Política da Prudência. São Paulo: É Realizações, 2013.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARQUES, R. M. et. al. Discutindo o papel do Programa Bolsa Família na decisão das eleições presidenciais brasileiras de 2006. Revista de Economia Política. São Paulo: v. 29, n. 1 (113), p. 114-132. Jan./Mar., 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br>. Acesso em: 26 de janeiro de 2016.

________________ O Programa Bolsa Família: para além do assistencialismo? Ensaios FEE. Porto Alegre: Editor Ensaios FEE, v. 31, n. 1, p. 259-282, Ago. 2010. Disponível em: < http://revistas.fee.tche.br/index.php/ensaios/article/view/2376>. Acesso em: 26 jan. 2016.

NETTO, L. E. O conservadorismo clássico- Elementos de caracterização e crítica. São Paulo: Cortez, 2011.

NETTO, J. P. Democracia e transição socialista- Escritos de teoria e política. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1990.

NISBET, R. O conservadorismo. Lisboa: Editorial Estampa, 1987.

PONDÉ, L. F. A formação de um pessimista. In: COUTINHO, J. P.;

PONDÉ, L. F.; ROSENFIELD, D. Por que virei à direita- três intelectuais explicam sua opção pelo conservadorismo. São Paulo: Três Estrelas, 2012. p. 50-81.

QUADROS, M. P. R. Neoconservadorismo e direita religiosa nos Estados Unidos: Formação ideológica, “guerra cultural” e política externa. Revista Espaço Plural. Paraná: Unioeste, Ano XV, n. 31, p. 43-61, 2º Semestre 2014. Disponível em: < http://e-revista.unioeste.br/index.php/espacoplural/issue/view/720/showToc>. Acesso em: 28 mar. 2017.

REGO, W. L.; PINZANI, A. Vozes do Bolsa Família- Autonomia, dinheiro e cidadania. São Paulo: Ed. Unesp, 2014.

SANTOS, J. S. Neoconservadorismo pós-moderno e Serviço Social brasileiro. São Paulo: Cortez, 2007.

SIGLER, J. A. A tradição conservadora no pensamento norte-americano. São Paulo: IBRASA, 1972.

SILVA, M. O. da SILVA e (coord.). O Bolsa Família: Verso e Reverso. Campinas: Papel Social, 2016.

SIQUEIRA, L. Pobreza e Serviço Social- Diferentes concepções e compromissos políticos. São Paulo: Cortez, 2013.

SOUZA, J. M. A. O conservadorismo moderno: esboço para uma aproximação. Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo: Cortez, n. 122, p. 1-22, abr./jun., 2015. Disponível em: . Acesso em 19 mar. 2016.

SCRUTON, R. O que é conservadorismo. São Paulo: É Realizações, 2015.

WOLFF, F. Esquecimento da política ou desejo de outras políticas? In: NOVAES, A. (org.). O esquecimento da política. Rio de Janeiro: Agir, 2007. p. 55-82.

YAZBEK, M. C. Pobreza e Exclusão Social: expressões da questão social no Brasil. Revista Temporalis. Brasília: ABEPSS- Grafline, Ano 2, n. 3, p. 33-40, jan./jun., 2001.




Direitos autorais 2019 Revista Praia Vermelha

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR