Encarceramento em massa e privatização das prisões no Brasil: Notas introdutórias

Sara Martins Araújo

Resumo


Nesta nota de pesquisa apresentaremos algumas reflexões que derivam do processo de estudos em desenvolvimento no Programa de Pós Graduação em Serviço Social-UFRJ, nível doutorado.   Nossa pesquisa centra-se no processo de privatização das prisões no Brasil e dada a fase inicial da pesquisa bibliográfica e documental, apresentaremos algumas hipóteses, relacionando principalmente com o debate da formação social brasileira e a expansão das políticas de controle e punição adotadas pelo Estado.

Texto completo:

PDF

Referências


COUTINHO, C. N. O Estado brasileiro: gênese, crise, alternativas. In: Contra a corrente: ensaios sobre democracia e socialismo. 2ª Ed. Ver. E atual. São Paulo. Cortez. 2008.

DEPEN. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. DF. Infopen Junho de 2014.

DEPEN. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. DF. Infopen Dezembro de 2014.

FERNANDES, F. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. 5ª Ed. São Paulo. Editora Globo. 2006.

____________________. A concretização da Revolução Burguesa. In: IANNI, O. (org.) Florestan Fernandes: sociologia crítica e militante. São Paulo. Expressão popular. 2004.

FILHO, J. & OI, A. H. (coord.) Prisões privatizadas no Brasil em debate. Relatório da Pastora Carcerária Nacional. São Paulo. ASAAC. 2014.

FONTES, V. O Brasil e o capital imperialismo: teoria e história. Rio de Janeiro. EPSJV, UFRJ. 2010.

GUIMARÃES, A. P. As classes perigosas: banditismo urbano e rural. Rio de Janeio. Editora UFRJ. 2008.

IAMAMOTO, M. V. Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. 4ª edição. São Paulo. Cortez. 2010.

IANNI, O. Raças e classes sociais no Brasil. 3ª edição, revista e acrescida de novos capítulos. São Paulo. Editora Brasiliense. 1987.

_____________. Estado e capitalismo. 1ª reimp. Da 2ª Ed. São Paulo. Editora Brasiliense. 2004.

LENIN, V. I. O Estado e a revolução: o que ensina o marxismo sobre o Estado e o papel do proletariado na revolução. 1ª edição. São Paulo. Expressão popular. 2007.

MARX, K. O capital. Crítica da economia política. Livro 1. Volume 1. São Paulo. Civilização Brasileira. 2003.

________. O capital. Crítica da economia política. Livro 1. Volume 2. São Paulo. Civilização Brasileira. 1980.

________. O capital. Crítica da economia política. Livro 3. Volume 1. São Paulo. Abril Cutural. 1983.

_________. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. In: A revolução antes da revolução. 2ª Ed. São Paulo. Expressão Popular. 2015

MARX, K. & ENGELS, F. A ideologia Alemã. 1ª Ed. São Paulo. Expressão Popular. 2009

MELOSSI, D. & PAVARINI, M. Cárcere e fábrica -- as origens do sistema penitenciário. (séculos XVI-XIX). Rio de Janeiro. Revan:ICC. 2006. Pensamento criminológico. V. 11.

NETTO, J. P. Crise do socialismo e ofensiva neoliberal. 4ªed. São Paulo, Cortez, 2007. Coleção Questões da Nossa Época, v.20.

____________. “As condições histórico-sociais da emergência do serviço social.” In: NETTO, J. P. Capitalismo monopolista e serviço social. 7ª ed. São Paulo, Cortez, 2009. Cap. 1.

WACQUANT, L. Punir os pobres: a nova gestão da miséria no Estados Unidos [A onda longa punitiva]. Tradução de Sergio Lamarão. 3ªed. Revista e ampliada. Rio de Janeiro. Revan. 2007.

______________. As prisões da miséria. Tradução de André Telles. 2ªed. Rio de Janeiro. Zahar. 2011.




Direitos autorais 2019 Revista Praia Vermelha

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR