O primeiro-damismo e a gestão da assistência social: desafios ao serviço social

Moíza Siberia Silva de Medeiros

Resumo


Neste artigo discutimos acerca da cultura do primeiro-damismo na gestão da assistência social, no Brasil, em diferentes períodos históricos, buscando analisar como o primeiro-damismo se reatualiza na atual configuração da Política de Assistência Social mediada pela formação profissional superior precarizada, além de buscar apontar alguns desafios postos para o Serviço Social na atualidade. Analisamos o primeiro-damismo a partir da formação sócio-histórica brasileira, apontando as contradições dessa prática e como ela se desenvolve no atual cenário de precarização das políticas sociais e da formação profissional de nível superior.


Palavras-chave


Primeiro-Damismo; Assistência Social; Formação Profissional; Serviço Social.

Texto completo:

PDF

Referências


BEHRING, Elaine Rossetti. Brasil em contra-reforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

______. BOSCHETTI, Ivanete. Política Social: fundamentos e história. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2010. (Biblioteca Básica de Serviço Social).

BONFIM, Paula. Conservadorismo moral e serviço social: a particularidade da formação brasileira e a sua influência no cotidiano de trabalho dos assistentes sociais. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2015.

COUTINHO, Carlos Nelson. Cultura e sociedade no Brasil: ensaios sobre ideias e formas. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil. Ensaio de interpretação sociológica. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

IAMAMOTO, Marilda Villela. A questão social no capitalismo. In: Revista Temporalis, Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social, Ano 2, n. 03, Brasília: ABEPSS, 2001.

______. Proposta de interpretação histórico-metodológica. In: IAMAMOTO, Marilda Villela; CARVALHO, Raul de. Relações sociais e serviço social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 39. ed. São Paulo: Cortez, 2013, p. 35- 130.

______. Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

IANNI, Octavio. A ideia de Brasil moderno. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1996.

MAURIEL, Ana Paula Ornellas. Pobreza, seguridade e assistência social: desafios da política social brasileira. In: MOTA, Ana Elizabete. (Org.). Desenvolvimentismo e construção de hegemonia: crescimento econômico e reprodução da desigualdade. São Paulo: Cortez, 2012, p. 179-195.

MESTRINER, Maria Luiza. O Estado entre a filantropia e a assistência social. 3.ed. São Paulo: Cortez, 2008.

MONTAÑO, Carlos. Terceiro setor e Questão Social: Crítica ao apdrão emergente de intervenção social. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

______. A natureza do Serviço Social: um ensaio sobre sua gênese, a “especificidade” e sua reprodução. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MOTA, Ana Elizabete (Org.). Apresentação. In: ______. O mito da assistência social: ensaios sobre Estado, Política e Sociedade. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2010, p. 15-18.

______. A centralidade da Assistência Social na Seguridade Social brasileira nos anos 2000. In: ______. O mito da assistência social: ensaios sobre Estado, Política e Sociedade. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2010, p. 133-146.

_____. MARANHÃO, Cezar Henrique; SITCOVSKY, Marcelo. As tendências da política de Assistência Social, o SUAS e a formação profissional. In: MOTA, Ana Elizabete (Org.). O mito da assistência social: ensaios sobre Estado, Política e Sociedade. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2010, p. 180-198.

MOTA, Ana Elizabete. Cultura da Crise e Seguridade Social. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2015.

ORTIZ, Fátima Grave. O serviço social no Brasil: os fundamentos de sua imagem e da autoimagem de seus agentes. Rio de Janeiro: E-papers, 2010.

PINTO, Marina Barbosa. Mudanças no trabalho do assistente social: exercício e formação profissionais. In: SANTOS, Cláudia Mônica dos; LEWGOY, Alzira Maria Baptista; ABREU, Maria Helena Elpidio. (Orgs.). A supervisão de estágio em serviço social: aprendizados, processos e desafios. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016, p. 57-78.

PRADO JR. Formação do Brasil contemporâneo. 11. ed. São Paulo: Brasiliense, 1971.

SANTOS, Josiane Soares. Neoconservadorismo pós-moderno e serviço social. São Paulo: Cortez, 2007. (Coleção questões da nossa época; v. 132).

SCHWARZ, Roberto. As ideias fora do lugar. In: ______. Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. 6. ed. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2012, p. 11-31.

SPOSATI, Aldaiza de Oliveira. Fotografia da Assistência Social no Brasil na Perspectiva do SUAS: o financiamento e o campo da gestão. In: MDS. Anais da V Conferência Nacional de Assistência Social. Brasília, DF: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome -- MDS. Conselho Nacional de Assistência Social -- CNAS, 2005, p. 110-162.

TORRES, Iraildes Caldas. As primeiras-damas e a assistência social: relações de gênero e de poder. São Paulo: Cortez, 2002.




Direitos autorais 2019 Revista Praia Vermelha

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR