O capital e o sujeito de direito na (re)produção da "questão ambiental"

Carla Alessandra da Silva Nunes

Resumo


RESUMO: O objetivo do artigo é apresentar algumas contribuições da crítica da economia política marxiana e marxista e da crítica marxista do direito para o debate ambiental. A partir de uma revisão bibliográfica que revela as conexões entre a forma mercadoria e a forma sujeito de direito, argumenta que o sujeito de direito está vinculado tanto às determinações da destrutividade ambiental quanto às estratégias de enfrentamento, sendo, ao mesmo tempo, uma mediação material e ideológica do capital na produção e reprodução da "questão ambiental".


Palavras-chave


capitalismo, mercadoria; sujeito de direito; "questão ambiental”.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAZ , M. Capitalismo, crise e lutas de classes. Revista Serviço Social e Sociedade, n.11, p.468-492, jul/set, 2012.Disponível em Acesso em 12 de dezembro de 2014.

CHESNAIS, F.; SERFATI, C. Ecologia e condições físicas da reprodução social : alguns fios condutores marxistas. Revista Crítica Marxista. São Paulo: Boitempo, n.16, mar.2003. Disponívelem:http://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos/biblioteca/artigo9539-merged.pdf Acesso em 20 de dezembro de 2014.

FOLADORI, G. O capitalismo e a crise ambiental. Revista Outubro. Disponível em http:// www.ebah.com.br. Acesso em 16 de dezembro de 2015.

HARVEY, D. O novo imperialismo. 5.ed. São Paulo:Ed. Loyola, 2011.

KASCHIURA JR , C. N. Sujeito de direito e capitalismo. São Paulo: Outras expressões; Dobra Universitário, 2014.

LAYRARGUES, P.P. A natureza da ideologia e a ideologia da natureza: elementos para uma sociologia da educação ambiental.2003,105f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP.

LOUREIRO, C. F. B. Educação ambiental transformadora. In: BRASIL. MMA. Identidades da Educação Ambiental. Brasília:MMA,2004, p.65-84.

MANDEL, E. O capitalismo tardio.Trad.de Carlos Eduardo Silveira Matos, Regis de Castro Andrade e Dinah de Abreu Azevedo.2.ed. São Paulo: Nova Cultural,1985.

MARX, K. O Capital. Crítica da economia política. Livro 1, v.1, tomo 1. Tradução de Regis Barbosa e Flávio Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

_______. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo:Boitempo,2004.

MARX K; ENGELS,F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach,, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845/1846). Superv. edit.: Leandro Konder.Trad. : Rubens Enderle, Nélio Scheneider, Luciano Cavini Martorano. São Paulo:Boitempo,2007.

MÉSZÁROS, I. Para Além do Capital: rumo a uma teoria da transição. Trad. Paulo Cezar Castanheira; Sérgio Lessa. São Paulo: Boitempo, 2011.

______. A Educação Para Além do Capital. São Paulo: Boitempo,2008.

NETTO, J. P.; BRAZ, M. Economia Política: uma introdução crítica. 4.ed. São Paulo: Cortez,2008.(Biblioteca básica de serviço social;v.1).

PACHUKANIS, E. B. Teoria geral do direito e marxismo. São Paulo: Ed. Acadêmica, 1988.

PEDROSA, J.G.O capital e a natureza no pensamento crítico. In: LOUREIRO, C.F.B.(org) et al. .A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro. Ed. Quartet,2007.

SILVA, M. das G. e. Questão ambiental e desenvolvimento sustentável: um desafio ético-político ao Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2010.




Direitos autorais 2019 Revista Praia Vermelha

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR