Megaeventos no Brasil, Carnaval em Salvador: entre a “cultura do povo” e a beleza do morto

Ewerthon Clauber de Jesus Vieira

Resumo


Este artigo compõe parte dos resultados de uma pesquisa doutoral, em curso, que versa sobre as políticas urbano-culturais e a produção de uma imagem de consumo da cidade de Salvador no contexto de preparação e realização dos recentes megaeventos esportivos, notadamente das copas privadas da FIFA. Interessa analisar criticamente em que medida as intervenções implementadas e ou projetadas para as cidades refletem o cenário excepcional que o tempo de copa opera, especificamente na construção imagética de Salvador como capital da alegria e referência representativa do Brasil. Para tanto, mediante a pesquisa documental e a observação direta dos usos dos espaços públicos, objetiva-se especificamente compreender como, na capital baiana, a ênfase denotada a cultura popular, sob a referência positivada de uma revalorização da história e costumes do povo baiano, empreende perversamente uma mercantilização reificada na destituição do caráter dinâmico e plural próprios das práticas culturais, convertendo-as em objetos atrativos para o consumo e para imagem edificante de Salvador, em tempo de Copa.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, O. B. F. “Uma estratégia fatal. A cultura nas novas gestões urbanas.”. In Arantes, O; Vainer, C; Maricato, E. (Orgs.) A cidade do pensamento único. Desmanchando consensos. (5ª ed. pp.11-74). Petrópolis: Vozes. (2009).

BRASIL, CÂMARA DOS DEPUTADOS. Lei Geral da Copa nº 12.663, 5 de junho de 2012.

CÃMARÃ, Gabriel. “l'INSÉCURITÉ URBAINE ET LES GRANDS ÉVÉNEMENTS SPORTIFS: LA COUPE DU MONDE DE FOOTBALL, BRÉSIL 2014”. In: Scientific Annals of "Alexandru Ioan Cuza" University of Iasi. 2012 89-102.

CERTEAU, Michel. A Cultura no Plural. 7ª ed. Campinas-SP, editora Papirus. (2011).

FERREIRA, João Sette Whitaker. “Apresentação. Um teatro milionário”. In: Brasil em Jogo. O que fica da Copa e das Olimpíadas? São Paulo, Ed. Boitempo: Carta Maior. P.p. 07-16. (2014).

FORTUNA, Carlos. “Destradicionalização e imagem da cidade: O caso de Évora”. In: FORTUNA, Carlos (Org.). Cidade, cultura e globalização: ensaios de sociologia. Ed. Celta. P.p. 231-257. (1997).

GUSMÃO, Nelma de Oliveira. “Jogo espetáculo, jogo negócio”. In: Brasil em Jogo. O que fica da Copa e das Olimpíadas? São Paulo, Ed. Boitempo: Carta Maior. P.p. 25-31. (2014).

HALL, Stuart. “A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo”. In: Educação & Realidade. Open University: V. 22, n. 2, (1997).

HARVEY, David. A Condição Pós-moderna: uma pesquisa sobre as Origens da Mudança Cultural. São Paulo, 4ª edição, Ed Loyola. (1994).

IBGE. Censo Demográfico de 2010. Rio de Janeiro.

LEFEBVRE, H. A Revolução Urbana. Belo Horizonte, Ed UFMG. Tradução de Sérgio Martins. (1999).

____. O Direito À Cidade. São Paulo, 5ª edição, Ed. Centauro. Tradução Rubens Eduardo Frias. (2008).

KOWARICK, Lucio. A espoliação urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

MARICATO, E. “As ideias fora do lugar e o lugar fora das ideias: Planejamento urbano no Brasil.”. In: ARANTES, O; VAINER, C; MARICATO, E. (Org.) A cidade do pensamento único. Petrópolis/RJ: Vozes, 2009. p. 121-192.

____. “O impasse da política urbana”. In: O impasse da política urbana no Brasil. Petrópolis/RJ: Vozes, 2011. p. 15-88.

____. (et al.). Cidades rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo; Carta Maior, 2013

____. “A Copa do Mundo no Brasil: tsunami de capitais aprofunda a desigualdade urbana”. In: Brasil em Jogo. O que fica da Copa e das Olimpíadas? São Paulo, Ed. Boitempo: Carta Maior. P.p. 17-24. (2014).

MAIOR, Jorge Luiz Souto. “Lei Geral da Copa: explicitação do estado de exceção permanente”. In: Brasil em Jogo. O que fica da Copa e das Olimpíadas? São Paulo, Ed. Boitempo: Carta Maior. P.p. 33-40. (2014).

MINISTÉRIO DAS CIDADES. “A economia de Salvador e a formação de sua Região Metropolitana”. In: CUNHA, E.M.P; PEDREIRA, R.S. (Orgs.). Como anda Salvador. Brasília, Ministério das Cidades. p.p. 1-50. (2008).

MULLER, Pierre. Les Politiques Publiques comme construction d'un rapport au monde. In: FAURE, d'Alain; POLLET, G.; WARIN, P. (Org.) La Construction du sens dans politiques publiques. Paris: L'Harmattan, 1995. p.153-179.

PINHEIRO, L.I.F; GUIMARÃES, C.R.F.F; COSTA, R.M.S. “Indicadores macroeconômicos do turismo, dos principais destinos litorâneos da Bahia, no período de 1998 a 2008.” In: Cultur, Revista de Cultura e Turismo, ano 05 - nº 01/Especial - Jan/2011.

RIBEIRO, L. C. Q. e SANTOS JUNIOR, O. A. “Governança empreendedorista e megaeventos esportivos: reflexões em torno da experiência brasileira”. In: Revista O Social em Questão, PUC-Rio de Janeiro, Ano XVI - nº 29. P.p. 23-42. (2013).

ROLNIK, Raquel. “Política Urbana no Brasil -- Esperança em Meio ao Caos?”. In: Revista da ANTP, São Paulo 8 pág. (2003). (Texto online, disponível em: http://raquelrolnik.wordpress.com/artigos-e-publicacoes/).

ROLNIK, R. “Entrevista -- Coisas nada civilizadas ocorrem quando um país prepara um megaevento”. In: Revista Adusp, Abril, nº 52. São Paulo, p.p. 06-13. (2012a).

ROLNIK, Raquel; RIBEIRO, A. C. T. ; VAZ, L. F. ; SILVA, M. L. P. “10 Anos do Estatuto da Cidade: Das Lutas pela Reforma Urbana às Cidades da Copa do Mundo”. In: RIBEIRO, A.C.T; VAZ, L.F.; SILVA, M.L.P.. (Org.). Quem planeja o território? Atores, arenas e estratégias. 1 ed. Rio de Janeiro: Letra Capital/ANPUR, 2012b, v. -, p. 87-104.

RUBIO, Katia. “A Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos no País do Futebol.”. In: Revista Adusp, Abril, nº 52. São Paulo, p.p. 14-21. (2012).

SAVAGE, M.; WARDE, A. Políticas urbanas. In: Sociologia Urbana, Capitalismo e Modernidade. Portugal: Celta, 2002. p. 151-194.

SANTOS, Milton. “Formação da cidade e evolução da região”. In: O Centro da cidade de Salvador. 2. Edição. São Paulo: Edusp; Salvador: Edufba. P.p. 35-66. (2008).

SECOPA. PLANO DIRETOR DA COPA 2014 NA BAHIA. Salvador. (2011).

VAINER, C. “Pátria, empresa e mercadoria. Notas sobre a estratégia discursiva do Planejamento Estratégico Urbano”. In: Arantes, O; Vainer, C; Maricato, E. (Orgs.) A cidade do pensamento único. Desmanchando consensos. (5ª ed. pp.75-104). Petrópolis: Vozes. (2009).

WATERMAN, Stanley Carnivals for elites? The cultural politics of arts festivals. Progress in Human Geography. February 1998 22: 54-74

Sites consultados:

ADUSP. Revista nº 52, Abril de 2012. Disponível em: http://www.adusp.org.br/index.php/imprensa/revista/1430-revista-n-52-abril-de-2012. Acessado em março de 2014.

FIFA. DESTINATION: Salvador a Host City for the 2014. Disponível em: http://www.fifa.com/worldcup/destination/cities/city=1169/index.html. Acessado em setembro de 2011.

EMPRESA SALVADOR TURISMO -- SALTUR. Empresa Salvador Turismo. Disponível em: http://www.saltur.salvador.ba.gov.br/home.php. Acessado em fevereiro de 2014.




Direitos autorais 2016 Revista Praia Vermelha

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR