As raízes da segregação socioespacial na divisão social do trabalho

Adriana Ilha da Silva

Resumo


A segregação socioespacial é caracterizada pelo acesso desigual aos equipamentos e serviços coletivos, tendo suas raízes na divisão social do trabalho. Nesta perspectiva, analisou-se, através de revisão bibliográfica, o papel do Estado na produção da riqueza social; as condições gerais da produção capitalista; a formação da cidade capitalista e o processo de segregação socioespacial e suas determinações. Observou-se que a distribuição dos equipamentos coletivos nos espaços citadinos segue lógica correlata a da concentração urbana dos meios de reprodução do capital, determinada pela divisão social do trabalho, hierarquizando os espaços residenciais, segundo a tipologia indicada por Topalov (1984): áreas nobres, intermediárias e periféricas. Assim, a segregação socioespacial é uma resultante do antagonismo de interesses do capital e do trabalho, origem das desigualdades sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


CASTELLS, M. A Questão Urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

COCCO, G. Trabalho e cidadania, produção e direitos na era da globalização. São Paulo: Cortez, 2000.

COUTINHO, C. N. Marxismo e Política: a dualidade de poderes e outros ensaios. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1996.

LEFEBVRE, H. A cidade do capital. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.

LOJKINE, J. O Estado Capitalista e a Questão Urbana. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Livro I, vol. I e II. 21ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

RAUTA RAMOS, Maria H. (Org.). Metamorfoses Sociais e Políticas Urbanas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002a.

____. Homogeneização/heterogeneização ou segregação socioespacial, enquanto expressão da divisão social do trabalho no território. Rio de Janeiro: LOCUSS/UFRJ. 2002b. (mimeo).

SÁ, M. E. de. A cidade e o processo de segregação socioespacial em Angra dos Reis. 2000. 232 f. TESE (Doutorado em Serviço Social) – Programa de Pós-graduação em Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Rio de Janeiro: ESS/UFRJ, 2000.

SASSEN, S. As cidades na economia mundial. São Paulo: Studio Nobel, 1998.

SCHAEFFER, M. F. C. A constituição urbana no Distrito Federal e a Segregação socioespacial. Brasília: UnB, 2002 (mimeo).

SILVA, A. I da. A Segregação Socioespacial em Vitória/ES a partir do exame das condições gerais de produção capitalista e dos equipamentos e serviços públicos. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Serviço Social. ESS/UFRJ. Rio de Janeiro: ESS/UFRJ, 2005.

TOPALOV, C. Le profit, la rent et la ville: elèments de théorie. Paris: Econômica, 1984.

______. Fazer a história da pesquisa urbana: a experiência francesa desde 1965. Espaços e Debates, nº. 23, ano VIII, 1988.

WEFFORT, F. (Org.). Os Clássicos da política, vol. 2. São Paulo: Ática, 2002.




Direitos autorais 2016 Revista Praia Vermelha