Território e produção do espaço no contexto da ideologia neodesenvolvimentista no Brasil

Maria Helena Elpidio Abreu

Resumo


O artigo objetiva problematizar a ampliação do debate da categoria Território no contexto das políticas sociais na fase do Capitalismo Maduro ou Tardio. Priorizou-se retomar a crítica ao desenvolvimento das políticas sociais neoliberais no Brasil, marcado pela inserção dependente e subordinada à dinâmica do capital, a partir da reflexão acerca da produção do espaço. Adotou-se como recorte a abordagem crítica ao tema do Território, como este é tratado nos documentos do governo e orientações político-normativas, que evidenciam nesta quadra histórica, o direcionamento neoliberal das políticas sociais. Buscou-se analisar as tendências e contradições presentes na direção social deste debate, fortemente influenciado pelo discurso neodesenvolvimentista do Estado para gerir as expressões da Questão Social.

Texto completo:

PDF

Referências


BEHRING, Elaine R. e BOSCHETTI, Ivanete.Política Social: fundamentos e história. Biblioteca Básica do Serviço Social -- Vol. 2. São Paulo: Cortez, 2006.

BEHRING, Elaine Rossetti. Brasil em contra-reforma. São Paulo: Cortez, 2003.

____. Expressões políticas da crise e as novas configurações do Estado e da sociedade civil. In Serviço Social: direitos e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009.

BOSCHETTI, Ivanete. Assistência Social no Brasil: um direito entre a originalidade e conservadorismo. Brasília: GESST, SER/ UnB, 2001.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social. Petrópolis: Vozes, 1998.

CASTELO, Rodrigo (org). As encruzilhadas da América Latina no século XXI. Rio de Janeiro: Pão e Rosas, 2010.

CHESNAIS, François. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

____. Uma nova fase do capitalismo? São Paulo: Xamã, 2003.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. 12 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

____. O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Loyola, 2008.

____. A produção capitalista do espaço. 2 ed. São Paulo: Annablume, 2006.

IAMAMOTO, Marilda V. O Serviço Social em tempo de capital fetiche. São Paulo: Cortez, 2007.

IANNI, Octávio. Estado e planejamento econômico no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

MANDEL, Ernest. O capitalismo tardio. Coleção “Os economistas”. 2ed. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

MARX, Karl. O método da economia política. in Para a Crítica da economia política. Coleção “Os pensadores”. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO. Estudo da Dimensão Territorial para o Planejamento: Volume I - Estratégia 2008-2027 (20 anos). Brasília: Ministério do Planejamento, 2008.

MOTA, Ana Elisabete (org). As ideologias da contrarreforma e o Serviço Social. Recife: Editora Universitária UFPE, 2010.

NETTO, José Paulo. Capitalismo monopolista e Serviço Social. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2005.OLIVEIRA, Francisco et al (orgs). Hegemonia às Avessas. São Paulo: Boitempo: 2010.

TROTSKY, Leon. A revolução permanente. 2 ed. Expressão Popular: São Paulo, 2007.

WOOD, Ellen M. Democracia contra capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2003.

www.planejamento.gov.br. Acesso em 23/09/2011.




Direitos autorais 2016 Revista Praia Vermelha

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR