Renda Básica e Exploração Capitalista

Ricardo Rojas Fabres

Resumo


A partir da constatação de que a igualdade econômica e o socialismo não são historicamente inevitáveis, propomos neste trabalho a possibilidade de pensar o marxismo a partir da filosofia política, entendendo as questões normativas como determinantes para a práxis emancipatória. Neste sentido, com base no estudo dos textos de juventude de Marx, especialmente os Manuscritos de 1844 (2004), A questão Judaica (2010) e A ideologia Alemã (2007), buscamos a identificação e a justificação dos pré-requisitos normativos de uma sociedade igualitária (Bidet, 2008). Para isso, primeiramente estreitamos a relação entre ética e marxismo (Geras, 1988; Cohen, 1994; Elster, 1998), depois expomos a exploração capitalista sob a óptica da justiça (Callinicos, 2006; Cohen, 1986; Parijs, 2002) e por fim, na última parte do trabalho, apresentamos a proposta denominada “Renda Básica de Cidadania”. Em síntese, nosso argumento é que uma renda paga por uma comunidade política para todos os seus membros (Van Parijs, 2000) é uma forma de garantir uma base autônoma de existência para os trabalhadores, visto que limita a situação em que estes se veem despojados de autonomia ao vender sua força de trabalho em troca de sua subsistência (Raventós, 2012). Portanto, com base na crítica do jovem Marx (2004) à exploração capitalista e no seu desenho de uma sociedade humanamente emancipada (2010), sugerimos a “Renda Básica de Cidadania” como alternativa da sociedade para se impor contra o trabalho alienado (Parijs, 2006) na garantia da dignidade e da autonomia de seus membros.

Texto completo:

PDF

Referências


ASH, William. Marxismo e moral. Rio de Janeiro: Zahar, 1969.

BENSAÃD, Daniel. Apresentação: uma crítica da emancipação política. Trad: Wanda Caldeira Brant. In: MARX, Karl. Sobre a questão judaica. Trad: Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2010.

Bidet, Jacques y Kouvelakis, Stathis (ed). Critical Companion to Contemporary Marxism. Brill, 2008.

BLOCH, Ernst. El principio esperanza, tomo I. Madrid: Aguilar,1977.

____. El principio esperanza, tomo II. Madrid: Editorial Trotta, 2007.

Bobbio, Norberto. "Reformismo, socialismo e igualdade." Novos estudos 19 (1987).

Borón, Atilio, Javier Amadeo, and Sabrina González. La teoría marxista hoy. Buenos Aires: CLACSO (2006)

BOTTOMORE, Tom. Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

Callinicos, A. Igualdade e capitalismo. In: BORÓN, A; AMADEO, J; GONZÁLEZ, S. (orgs.). A teoria marxista hoje: problemas e perspectivas. Buenos Aires: CLACSO, 2006, p. 253-269.

CHASIN, Joseph. A determinação ontonegativa da politicidade -- Ensaios Ad Hominem/ Estudos e Edições Ad Hominem; nº 1, tomo III; Política (2000) São Paulo: Estudos e Edições Ad Hominem, 2000.

____. Marx: estatuto ontológico e resolução metodológica. São Paulo: Boitempo, 2009.

Cohen, G. A. "Equality as fact and as norm: reflections on the (partial) demise of marxism." Lua Nova: Revista de Cultura e Política 33 (1994): 123-134.

____. La teoría de la historia de Karl Marx: una defensa. Pablo Iglesias Editorial. 1986.

Geras, Norman. The controversy about: Marx and Justice. Philosophica 33, 1984, pp. 33-86.

H¶ffe, Otfried. O que é justiça?. Vol. 155. Edipucrs, 2003.

LÖWY, Michael. A teoria da revolução no Jovem Marx. Trad. Anderson Gonçalves. Petrópolis (RJ): Ed. Vozes, 2002.

Marx, Karl. Sobre a questão judaica. São Paulo: Boitempo, 2010

____, Friedrich Engels. A ideologia alemã. Boitempo Editorial, 2007.

____, Frederich Engels. Manifesto comunista. Boitempo Editorial, 1998.

____. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

____. A Sagrada Família. São Paulo: Boitempo, 2003.

____. Manuscritos econômico-filosóficos. Boitempo Editorial, 2004.

____. Crítica da filosofia do direito de Hegel. Boitempo Editorial, 2005.

Miller, David. Perspectivas de justiça social In Análise Social, vol. Xxxiii (146-147), 1998

Navarro, Vicente. "Produção e estado de bem-estar: o contexto político das reformas." Lua Nova: Revista de Cultura e Política 28-29 (1993): 157-200.

Vázquez, Adolfo Sanchez. Después del derrumbe: estar o no a la izquierda. Dialéctica, núm. 23-24; 1993.

Wood, Allen. “Justice and class interests”. Philosophica nº 33, 1984, p. 9-32.




Direitos autorais 2016 Revista Praia Vermelha

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR