A atualidade de Lenin em tempos de crise do sistema do capital

Roberto Anderson Dornelles

Resumo


No presente ensaio abordamos a teoria lenineana da organização, buscando evidenciar a sua atualidade diante da atual conjuntura da ordem do capital. Para isso, destacamos as modificações impostas pela burguesia com o objetivo de potencializar a acumulação do capital. Buscou-se evidenciar, no entanto, que mesmo com essas transformações, o sistema do capital não deixou de atravessar períodos de crises cíclicas. Com isso, abordamos a proposta lenineana para a organização do partido revolucionário, destacando o conceito e os principais elementos que compõem a teorização do revolucionário e levantamos elementos que indicam a necessidade de um estudo rigoroso do pensamento de Lenin tendo em vista a atualidade de seu pensamento enquanto proposta que pode contribuir para a organização da classe trabalhadora no enfrentamento à ordem do capital.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDEROSN, Perry. Balanço do neoliberalismo. In: SADER, E. e GENTILI, P. (Orgs.). Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. São Paulo: Paz e Terra, 1995. P. 9-23.

ARRIGHI, Giovanni. Adam Smith em Pequim. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

BENOIT, Hector. Teoria (dialética) do partido ou a negação da negação leninista. In: Revista Outubro, nº2, 1998, p.47-61.

BRAGA, Ruy. A Restauração do Capital: um estudo sobre a crise contemporânea. São Paulo: Xamã, 1997.

braz, Marcelo. Apresentação. In: LÊNIN, V. I. Que Fazer? Problemas Candentes do nosso movimento. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

BENSAID, Daniel. Lenin, ou a Política do Tempo Partido. Disponível em http://www.marxists.org/portugues/bensaid/ano/mes/lenin.htm. Acesso em 10/09/2011.

COGGIOLA, Oswaldo. Conjuntura e movimento docente. Texto 1, diretoria do ANDES-SN. Documento digitado, 2011.

Fernandes, Florestan. Apresentação. In: LÊNIN, V. I. Que Fazer? As Questões Palpitantes do Nosso Movimento. São Paulo: Hucitec, 1988.

FRIEDMAN, Milton. Capitalismo e Liberdade. Rio de Janeiro: Artenova, 1984.

Gorender, Jacob. Apresentação. In: MARX, Karl. O Capital: Crítica da econômica política – livro I, 2 volumes. São Paulo: Editora Nova Cultura, 1996.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. Uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 2005.

HOBSBAWM, Eric J. Era dos extremos: breve século XX – 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LENIN, Vladimir I. Que Fazer? São Paulo: Hucitec, 1988.

LENIN, Vladimir I. ¿Por Donde Empezar? In: Obras Escogidas – Tomo I. Moscou: Editora Progresso, 1973, p.195-198.

LENIN, Vladimir I. Esquerdismo, doença infantil do comunismo. São Paulo: Global Editora, 1989.

LENIN, Vladimir I. Um passo em frente, dois passos atrás. In: Obras Escolhidas - Tomo 1. São Paulo: Editora Alga-Omega, 1982.

MANDEL, Ernest. A teoria leninista da organização. Porto: Afrontamento, 1984.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto Comunista. São Paulo: Boitempo, 1998.

MARX, Karl. Elementos Fundamentales Para La Critica de La Economia Politica (Borrador) 1857-1858, Volume 1. Buenos Aires: Siglo XXI Editores, 1971.

NETTO, José Paulo. A ofensiva neoliberal e seu significado. In: NETTO, José Paulo. Crise do socialismo e ofensiva neoliberal. São Paulo: Cortez, 1993.

NETTO, José Paulo. O déficit da esquerda é organizacional. In: Socialismo e Liberdade. Ano I, n° 02, agosto de 2009.

Rosdolsky, Roman. Gênese e estrutura do Capital de Karl Marx. Rio de Janeiro: EDUERJ: Contraponto, 2001.

SAMPAIO JR. Plínio da Arruda. Apresentação. In: SAMPAIO JR. Plínio da Arruda (Org.). Capitalismo em crise: a natureza e a dinâmica da crise econômica mundial. São Paulo: Editora Sundermann, 2009, pp. 7-27.




Direitos autorais 2016 Revista Praia Vermelha