IMPACTO DA ESTIMULAÇÃO CEREBRAL PROFUNDA NA QUALIDADE DE VIDA E HUMOR EM PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON

Gabriel Kledeglau Jahchan Alves, Lorena Broseghini Barcelos, Vanderci Borges, Ricardo Silva Centeno, Henrique Ballalai Ferraz, Murilo Martinez Marinho

Resumo


A doença de Parkinson (DP) é uma doença neurodegenerativa derivada
de uma redução da produção de dopamina. O seu tratamento
é basicamente por medidas farmacológicas. No entanto, nos estádios
avançados da doença, especialmente devido às flutuações do
motor, o tratamento farmacológico por si só não é completamente
bem-sucedido. Assim, surge a possibilidade de benefícios ao paciente
pela técnica de estimulação cerebral profunda (DBS). O objetivo
deste estudo foi analisar o impacto do DBS palidal ou subtalâmica
sobre a qualidade de vida desses pacientes (QoL). Para tanto, empregaram-
se duas escalas, comparando os resultados pré e pós-operatórios:
o Inventário de Depressão de Beck - BDI (avalia o aspecto
emocional dos pacientes) e o PDQ-39 (avalia os aspectos motores e
as relações sociais). Podemos observar que a avaliação do BDI apontou
para uma melhora média de 9,5% e os escores do PDQ-39 melhoraram
10,28%. Há evidências que pacientes submetidos à técnica
de DBS subalâmicos ou paliativos mostraram uma QoL de melhoria
importante, assim, o DBS surge como um adjuvante na luta contra a
doença de Parkinson.


Palavras-chave


Neurologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.