A realidade virtual por meio do tapete de videodança melhora a marcha de pacientes com doença de Parkinson

Ana Sofia Kauling de Sousa, Poliana Penasso Bezerra

Resumo


Intervenções com realidade virtual apresentam efeitos positivos em várias habilidades físicas em pacientes com doença de Parkinson (DP). O objetivo foi verificar a efetividade do treinamento de curto prazo baseado em realidade virtual por um tapete de videodança no desempenho da marcha em pacientes com doença de Parkinson. Foram avaliados quatro pacientes pela Escala Hoehn e Yahr, Escala Unificada de Avaliação da Doença de Parkinson (UPDRS), Miniexame do Estado Mental, Avaliação Cognitiva Montreal, Escala de Berg e Escala de Atividade de Parkinson. Para avaliar o treinamento, foi realizado o teste de caminhada dos 10 metros antes (A1), após 1 hora de repouso (A2) e após o treino (A3) em seis situações diferentes. Realizou-se intervenção com o tapete de videodança, com uma sessão única de 1 hora. Análise estatística: ANOVA de medidas repetidas, post-hoc de Tukey, para análise das variáveis espaçotemporais da marcha nos três momentos de avaliação e teste de McNemar para investigar diferenças na proporção de acertos nos dois alvos ao longo do trajeto (nível de significância 5%). Resultados evidenciaram redução do tempo para percorrer o trajeto e aumento da cadência na A3 em relação às avaliações iniciais (p < 0,05). Redução do número de erros de colocação do pé no alvo na A3 (p < 0,05). A intervenção foi efetiva principalmente em reduzir o tempo para percorrer o percurso e corrigir erros de colocação do pé no alvo.


Palavras-chave


Neurologia; Fisioterapia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.