Conhecimento da população sobre Acidente Vascular Cerebral em Torres RS

Valmir Soares Machado, Lidiane de Medeiros Hahn, Maria Isabel Morgan Martins, Luiz Carlos Porcello Marrone

Resumo


Introdução: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma das principais causas de morbi-mortalidade na América Latina, poucos estudos avaliam o conhecimento da população brasileira sobre o mesmo. Objetivo: Avaliar o conhecimento da população de Torres/RS sobre fatores de risco e sinais/sintomas de AVC. Método:Foi realizado um estudo do tipo transversal de caráter descritivo e exploratório, com entrevista a 375 habitantes, no qual responderam a dois questionários, um sociodemográfico e outro relativo ao conhecimento dos sinais e sintomas do Acidente vascular cerebral. O teste de Qui-Quadrado (χ2) e teste T-student foram realizados para avaliar a associação existente entre as variáveis qualitativas e para verificar diferenças na frequência absoluta e percentual das variáveis. Resultados: A idade média dos participantes foi de 39,7 (+/- 14,6) anos, sendo 230 mulheres, a média de acertos sobre fatores de risco foi de 3.7/11 (34.4%) e de reconhecimento de sinais/sintomas foi de 3,2/10 (32,5%). Em relação aos fatores de risco, Hipertensão Arterial Sistêmica foi descrita por 229 (17,4%) indivíduos e quanto aos sinais/sintomas, o mais descrito foi a Paralisia Facial Central, relatada por 197 (17,2%). Além disso, foi observado que indivíduos com menor nível de instrução, do sexo masculino e com menos de 39 anos, apresentaram um pior desempenho em relação ao conhecimento sobre AVC. Conclusão:Dessa forma, sugere-se a necessidade de implementar políticas públicas que levem à população informações sobre a importância do reconhecimento destes sinais e sintomas com a necessidade do socorro rápido a este paciente.Introdução: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma das principais causas de morbi-mortalidade na América Latina, poucos estudos avaliam o conhecimento da população brasileira sobre o mesmo. Objetivo: Avaliar o conhecimento da população de Torres/RS sobre fatores de risco e sinais/sintomas de AVC Método:Foi realizado um estudo do tipo transversal de caráter descritivo e exploratório, com entrevista a 375 habitantes, no qual responderam a dois questionários, um sociodemográfico e outro relativo ao conhecimento dos sinais e sintomas do Acidente vascular cerebral. O teste de Qui-Quadrado (χ2) e teste T-student foram realizados para avaliar a associação existente entre as variáveis qualitativas e para verificar diferenças na frequência absoluta e percentual das variáveis. Resultados: A idade média dos participantes foi de 39,7 (+/- 14,6) anos, sendo 230 mulheres, a média de acertos sobre fatores de risco foi de 3.7/11 (34.4%) e de reconhecimento de sinais/sintomas foi de 3,2/10 (32,5%). Em relação aos fatores de risco, Hipertensão Arterial Sistêmica foi descrita por 229 (17,4%) indivíduos e quanto aos sinais/sintomas, o mais descrito foi a Paralisia Facial Central, relatada por 197 (17,2%). Além disso, foi observado que indivíduos com menor nível de instrução, do sexo masculino e com menos de 39 anos, apresentaram um pior desempenho em relação ao conhecimento sobre AVC. Conclusão:Dessa forma, sugere-se a necessidade de implementar políticas públicas que levem à população informações sobre a importância do reconhecimento destes sinais e sintomas com a necessidade do socorro rápido a este paciente.


Palavras-chave


Neurologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.