Perfil clínico dos portadores da síndrome congênita do zika vírus atendidos no centro especializado em reabilitação da cidade de Campina Grande- Pb

Camila Kelly Batista Cabra, Jessica da Silva Lima, Luciana de Souza Albuquerque, Eloise de Oliveira Lima

Resumo


Introdução: No segundo semestre do ano de 2015 um surto de microcefalia foi registrado na região nordeste do Brasil. O presente artigo tem como objetivo traçar o perfil clínico dos portadores da síndrome congênita do zika vírus da cidade de campina Grande. Métodos: Tratou-se de um estudo documental com abordagem quantitativa. A coleta de dados deu-se no Centro Especializado em Reabilitação (CER), no município de Campina Grande no estado da Paraíba com análise de 66 prontuários. Resultados: Maioria do sexo feminino (57,6%), com idade média de 3,36 anos. Houve predominância de infecção pelo vírus da Zika no 1º trimestre de gestação (69,7%), em mães com baixo grau de escolaridade em que apenas 28,8% completaram o ensino médio. A maioria das crianças, mesmo com a infecção, nasceram a termo (68,2%), porém, apresentaram baixo peso ao nascer, 2,697kg em média, perímetro cefálico médio de 29,97 cm, hipertonia, diminuição da amplitude de movimento, grande dependência nas atividades de vida diária e um importante atraso no desenvolvimento neuropsicomotor. Considerações finais: Com isto é possível destacar que os distúrbios apresentados, contribuem de maneira negativa para o desenvolvimento motor das crianças gerando um impacto em sua qualidade de vida.

Palavras-chave


Neurologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.