Tecnologia assistiva no ambiente hospitalar: uma análise da prática / Assistive technology in the hospital environment: an analysis of the practice

Luana Ramalho Jacob, Fernanda do Nascimento Maia, Rosa Maria de Araujo Mitre

Resumo


Este artigo aborda a utilização da Tecnologia Assistiva (TA) enquanto ferramenta na atenção a crianças e adolescentes hospitalizados. Trata-se de um relato de intervenção terapêutica ocupacional realizada junto a um menino de seis anos, previamente sadio, internado em um hospital público, com quadro de cerebelite aguda com alterações fulminantes, apresentando tetraplegia, dificuldade de fala, dependência de suporte ventilatório com traqueostomia e gastrostomia. A utilização de recursos de TA durante o período de internação proporcionou ganhos na sua qualidade de vida, apesar da sua nova condição funcional, de modo a ressaltar potencialidades, permitir a expressão através da comunicação alternativa e adaptar recursos para facilitar o brincar. Todos esses fatores auxiliaram também a equipe de saúde e a família a perceberem a capacidade e o potencial da criança, para além das limitações que apresentava. A TA se configurou como um importante recurso terapêutico ocupacional no ambiente hospitalar, ampliando a autonomia do paciente, estimulando seu processo de recuperação e facilitando as interações entre a equipe e a família.

 

Abstract

This addresses the use assistive technology (AT) resource as a tool in the attention of children and adolescents hospitalized. It is the report of the Occupational Therapy care with a boy with six-year-old, previously healthy, hospitalized with acute cerebelitis with fulminant changes, presenting quadriplegia, speech difficulties, dependence on ventilatory support with tracheostomy and gastrostomy in the public hospital in Brazil. The use of AT resources during the hospitalization period provided gains in their quality of life despite their new functional condition, highlighting their potentialities, allowing expression through alternative communication and adapting resources to facilitate the play. This also helped the health team and the family to realize the child's capacity and potential, beyond to the limitations it presented. The assistive technology can be configured as an important therapeutic resource in the hospital, extending the autonomy of the patient stimulating your recovery process and facilitating the interactions with the team and family.

Keywords: Child Hospitalized; Self-help devices; Occupational therapy.



Palavras-chave


Criança Hospitalizada; Equipamentos de autoajuda; Terapia ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Santos CM; Sá G; Geraldo AF; Tavares JB; Neto L; Campos JG. Cerebelite Aguda na Criança -- A propósito de diferentes etiologias. Acta Med. Portugal. 2012; 25(S1): 38-41.

Giardinetto, ARSB; Martini, EC; Cruz, JA; Moni, LO; Ruiz, LM; Rodrigues, P; Pereira, T. A importância da atuação da Terapia Ocupacional com a população infantil hospitalizada: A visão de profissionais da área de saúde. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. São Carlos. 2009; 17(1): 63-69.

De Carlo, MM; Kudo, AM. Terapia Ocupacional em contextos hospitalares e cuidados paliativos. 1º ed. São Paulo. Editora Payá. 2008

Kudo, AM.; Pierri, SA. Terapia Ocupacional com crianças hospitalizadas. In: Kudo, AM; Marcondes, E; Lins, L; Moriyama, LT; Guimarães, MLLG; Juliani, RCTP; Pierri, AS. Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional em Pediatria. 2ª ed. São Paulo. Sarvier; 1997, p. 194 - 203.

Comitê de ajudas técnicas. Ata da VII Reunião do comitê de ajudas técncas. - CORDE/ SEDH/ PR. /. Paraná, 2007.

Rodrigues, AC. Reabilitação: Tecnologia Assistiva. In: Rodrigues, AC. Reabilitação. Práticas inclusivas e estratégias para a ação. São Paulo: Livraria e Editora Andreoli, 2008. P. 39-41.

Organização Mundial de Saúde. Lista de produtos Assistidos Prioritários. Geneva, 2017. Licença: CC BY-NC-AS 3.0 IGO.

Pelosi MB, Gomes CA. Tecnologia Assistiva e Terapia Ocupacional em contextos hospitalares. In: CARLO MMRP, KUDO AM. Terapia Ocupacional em contextos hospitalares e cuidados paliativos. 1º ed. Editora Praya, 2018, p. 103-126.

Mitre, RMA. O brincar no processo de humanização da produção de cuidados pediátricos. In: DESLANDES, SF. Humanização dos cuidados em saúde. Conceitos, dilemas e práticas. 2º Ed. Rio de Janeiro. Editora Fiocruz; 2011, p. 283 -- 300.

Hirschheimer, MRH; Heberman, JI; Tobias, MM; Rizo, LR. O trabalho da terapia ocupacional na pediatria. Rev Paul Ped. São Paulo. 2001; 19(4):187 -- 194.

Mello MAF, Capanema VM, Luzo MP. Recursos tecnológicos em terapia ocupacional -- órtese e tecnologia assistiva. In: Terapia Ocupacional -- reabilitação física e contextos hospitalares. São Paulo. Roca, 2004. p. 99 -- 125.

Anson D. Tecnologia Assistiva. In: Terapia Ocupacional. Capacidades Práticas para as Disfunções Físicas. São Paulo. Roca, 2005; p.276 -- 296

Braccialli LMP. Tecnologia Assistiva: Perspectiva de qualidade de vida para pessoas com deficiência. In: Vilarta R, Gutierrez GL, Carvalho THPF, Gonçalves A. Qualidade de vida e novas tecnologias. Campinas. Ipes Editorial, 2007; p. 105 -114.

Varela, RCB; Oliver, FC. A utilização de Tecnologia Assistiva na vida cotidiana de crianças com deficiência.Ciên & Saúd Col.2013; 18(6):1773 -- 1784.

Cavalcanti AAS; Galvão CRC. Trabalho em equipe. In: Cavalcanti A; Galvão C. Terapia Ocupacional: Fundamentação & Prática. Rio de Janeiro. Editora Guanabara Koogan; 2011, p. 35 37.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto12696

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB