Cuidar, Cotidiano e Ocupações: Um olhar da Terapia Ocupacional sobre cuidadores familiares de idosos / Caring, everyday and occupations: a look at occupational therapy about elderly family caregivers

Ayra Caroline Melges Bossi Costa, Grasielle Silveira Tavares Paulin, Keila Cristiane Trindade da Cruz

Resumo


Este estudo de natureza descritivo exploratória objetivou identificar as áreas de ocupação prejudicadas no cotidiano de cuidadores familiares, analisar a autopercepção do cuidador sobre o seu papel e o cuidado prestado, identificar os sentimentos relacionados ao cuidado e conhecer as razões que o levaram a se tornar cuidador principal. A amostra do estudo foi composta por quatro cuidadores participantes do curso para cuidadores oferecido pela Liga Acadêmica de Gerontologia e Geriatria da Universidade de Brasília (LAGGUnB). Para a coleta de dados utilizou-se como instrumento de pesquisa uma entrevista semiestruturada com perguntas sobre o perfil sócio demográfico do idoso e do cuidador, a autopercepção do cuidador em relação ao cuidado prestado, a rotina diária antes e após se tornar cuidador. A análise dos dados foi feita através da análise de conteúdo e emergiram três categorias: rotina do cuidador, identificando o cuidado prestado e autopercepção do cuidado. Dentre os resultados encontrados notou-se que seis áreas de ocupação estão afetadas. Verificou-se também que não houve uma escolha em se tornar cuidador além disto, sentimentos positivos foram evidenciados ao justificar a escolha em exercer o papel de cuidar.  Conclui-se, portanto, que foram pontuadas mudanças no cotidiano, atividades foram negligenciadas ou diminuídas. Sendo assim, a participação do profissional de Terapia Ocupacional tem sua intervenção com foco na reorganização da rotina, resgatando a realização de atividades significativas.

Palavras chaves: Cuidador, Terapia Ocupacional, Envelhecimento. 

 

Abstract

This study had as objectives to identify the impaired occupations in the daily routine of family caregivers, to analyze the caregiver's selfperception about his / her role and care, to identify the feelings related to care and to know the reasons that led him to become a primary caregiver . It is a descriptive and exploratory study with a qualitative approach to the data. The sample consisted of four caregivers participating in the course for caregivers offered by the Academic League of Gerontology and Geriatrics of a public federal university. To collect data, a semi-structured interview was used as a research tool with questions about the socio-demographic profile of the elderly and the caregiver, the self-perception of the caregiver in relation to the care provided, the daily routine before and after becoming a caregiver. The analysis of the data was done through the technique of content analysis and emerged three categories: caregiver routine, care provided and self-perception of care. Among the results found, there were affected occupations: activities of daily living (ADL), instrumental activities of daily living (AIVD), sleep, leisure, social participation and work. It was concluded, therefore, that changes were scored in daily life, activities were neglected or diminished. Thus, the participation of the Occupational Therapy professional has its intervention focused on the reorganization of the routine, rescuing the performance of significant activities. Keywords: Caregivers; Aging; Occupational therapy.


Palavras-chave


Cuidadores; Envelhecimento; Terapia Ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Novelli MMPC; Nitrini R; Caramelli P. Cuidadores de idosos com demência: perfil sociodemográfico e impacto diário. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. 2010; 21(2):139-147.

Caramelli P; Barbosa MT. Como diagnosticar as quatro causas Como diagnosticar as quatro causas mais freqüentes de demência? Revista Brasileira Psiquiatria. 2002; 1(1):710, 2002

Ximenes MA; Rico BLD; Pedreira RQD. Doença de Alzheimer: a dependência e o cuidado. Revista Kairós Gerontologia. 2014; 17(2):121-140.

Gomes WD; Resck ZMR. A percepção dos cuidadores domiciliares no cuidado a clientes com sequelas neurológicas. Revista de Enfermagem UERJ. 2009; 17(4):496-501.

Dantas TM; Rodrigues LB; Santos WS; Dias JC; Santana NM; Lima ICV. Percepções e Vivências de Cuidadores Familiares de idosos acamados. Revista Brasileira Promoção Saúde. 2015; 28(3):411-417.

Maffioletti VLR; Loyola CMD; Nigri F. Os sentidos e destinos do cuidar na preparação dos cuidadores de idosos. Ciência & Saúde Coletiva. 2006; 11(4):1085-1092.

Rodrigues JEG; Machado ALG; Vieira NFC; Fernandes AFC; Rebouças CBA. Qualidade de vida e Sobrecarga de Cuidadores Familiares de Idosos Dependentes. Ciência y Enfermaria. 2014; 20(3):119-129.

Vieira L. Nobre JRS; Bastos CCBC; Tavares KO. Cuidar de um familiar idoso dependente no domicílio: reflexões para os profissionais da saúde. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2012; 15(2):255-263.

Sommerhalder C. Significados associados à tarefa de cuidar de idosos de alta dependência no contexto familiar. [Dissertação]. Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação, 2001.

Dahdah DF; Carvalho AMP. Papéis ocupacionais, benefícios, ônus e modos de enfrentamento de problemas: Um estudo descritivo sobre cuidadoras de idosos dependentes no contexto da família. Cadernos de Terapia Ocupacional UFSCar, São Carlos. 2014; 22(3):463-472.

Costa TFDC; Costa KNDFM; Martins KP; Fernandes MDMF; Brito SD. Sobrecarga de cuidadores familiares de idosos com acidente vascular encefálico. Escola Anna Nery. 2015; 19(2):350-355.

Lino VTS; Rodrigues NCP; Camacho LAB; O`dwyer G; Lima IS; Andrade MKN; Atie S. Prevalência de sobrecarga e respectivos fatores associados em cuidadores de idosos dependentes, em uma região pobre do Rio de Janeiro, Brasil. Caderno de Saúde Pública. 2016; 32(6):1-14.

Minayo MC O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2010.

Associação Americana de Terapia Ocupacional. Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo, 3ª ed. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. 2015; 26:1-49

Carleto DGS; Souza ACA; Silva M; Cruz DMC; Andrade VS. Estrutura da prática da terapia ocupacional: domínio e processo. 2ª edição. Revista Triângulo: Ensino, Pesquisa e Extensão, Uberaba. 2010; 3(2):57-147.

Hagedorn R. Fundamentos da Prática em Terapia Ocupacional. São Paulo: Dynamis Editorial; 1999.

Borghi AC; Sassá AH; Matos PCB; Decesaro MN; Marcon SS. Qualidade de vida de idosos com doença de Alzheimer e de seus cuidadores. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2011; 32(4):751-8.

Gomes MM; Quinhones MS; Engelhardt E. Neurofisiologia do sono e aspectos farmacoterapêuticos dos seus transtornos. Revista Brasileira de Neurologia. 2010; 46, (1):5-15.

Neves GSML; Giorelli AS; Florido P; Gomes MM. Transtornos do sono: visão geral. Revista Brasileira de Neurologia. 2013; 49(2):57-71.

Kubota AMA; Silva MNRMO; Masioli A. B. Aspectos da insônia no adulto e a relação. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. 2014; 25(2):119-25.

Rocha MPE; Vieira MA; Sena RR. Desvelando o cotidiano dos cuidadores informais de idosos. Revista Brasileira de Enfermagem. 2008; 61(6):801- 808.

Cruz MNC; Lecheta DR.; Wachholz PA. Fatores associados à sobrecarga e à depressão em cuidadores de idosos com doença de Alzheimer. Revista Brasileira de Geriatria & Gerontologia. 2009; 3(1):15-23.

Cavalcanti A; Galvão C. Terapia ocupacional: fundamentação & prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

José SJ; Wall K. Trabalhar e cuidar de um idoso dependente: Problemas e soluções. Actas dos ateliers do Vº Congresso Português de Sociologia. Sociedades Contemporâneas: Reflexividade e Acção. Atelier: Famílias, 2004.

Galheigo SM. O Cotidiano na terapia ocupacional: cultura, subjetividade e contexto histórico-social. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. 2003; 14(3):104-9.

Gratão ACM; Talmelli LFS; Figuereido IR; Freitas CP; Rodrigues RAP. Dependência funcional de idosos e a sobrecarga do cuidador. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2013; 47(1):137-44.

Hedler HC; Faleiros VP; Santos MJS.; Araújo MP. Representação social do cuidado e do cuidador familiar do idoso. Revista Katálysis. 2016; 19(1):143-153.

Pedreira LC. Oliveira AMS. Cuidadores de idosos dependentes no domicilio: mudanças nas relações familiares. Revista Brasileira de Enfermagem. 2012; 65(5):703-6.

Maffioletti VLR; Loyola CMD. A nova profissão de "cuidador de idosos" e suas implicações éticas. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem. 2003; 7(2):283-292.

Barros SMM; Andrade MAC; Siqueira FAA. Cuidar de um familiar com câncer: contribuições da terapia familiar sistêmica. Pensando famílias. 2013; 17(2):96-100.

Guimarães CA; Lipp MEN. Os possíveis porquês do cuidar. Revista da SBPH. 2012; 15(1):249-263.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

      

       

    Resultado de imagem para REDIB