Narrativas de diabéticos e impactos da doença em seu cotidiano: questão para a terapia ocupacional? / Narratives of diabetics and impacts of the disease in their occupational performance: questions for occupational therapy?

Mincia Regina Coelho Jacintho Morais, Stella Maris Nicolau, Lúcia Rocha Uchôa-Figueiredo

Resumo


Introdução: A Diabetes Mellitus é uma doença de fundo metabólico causada por uma baixa sensibilidade ou a pouca produção de insulina, sendo a ‘tipo 2' responsável por 90% dos casos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, a diabetes é quase uma epidemia em termos de pessoas afetadas, de potencial incapacitante, de mortalidade prematura e onerosa tanto para seu controle como no tratamento de suas complicações. Objetivo: identificar as principais alterações que ocorreram no cotidiano do diabético, conhecer aspectos do cotidiano após o diagnóstico e a evolução da doença, levantar as principais dificuldades encontradas pelos pacientes no atendimento do Sistema Único de Saúde, além, de identificar as medidas de prevenção, promoção de saúde e incentivo ao tratamento do qual participa. Método: Foi realizada uma pesquisa qualitativa, exploratória, e prospectiva, com quatro participantes, sendo eles diabéticos tipo 2, de ambos os sexos, em acompanhamento no serviço de saúde do município de Praia Grande-SP. Os dados foram coletados através de narrativas, e posteriormente analisadas utilizando a análise de conteúdo. Apontam os resultados que as áreas com mais alterações em sua vida cotidiana foram: alimentação, atividade sexual, controle de esfíncter, gerenciamento e manutenção a saúde e comunicação. Considerações Finais: O apoio a adoção de hábitos e rotinas que previnam complicações e promovam saúde a diabéticos pode ser uma importante contribuição da terapia ocupacional em abordagens implicadas com a maximização das potencialidades ocupacionais e engajamento em atividades significativas e transformadoras.

 

Abstract

Introduction: The Diabetes mellitus is a metabolic background disease caused by low insulin production, with 'type 2' accounting for 90% of cases. According to the Brazilian Diabetes Society, diabetes is almost an epidemic in terms of people affected, of incapacitating potential, of premature and costly mortality both for its control and in the treatment of its complications. Objective: to identify the occupational performance of diabetic people accompanied in a primary care service in Brazilian Unified Health System. Method: a qualitative, exploratory study was carried out with four participants, being type 2 diabetics, of both sexes, in follow-up at the health service of one of the cities of the Metropolitan Region of Baixada Santista. The data were collected through narratives, later analyzed using content analysis. The results indicate that the areas with the most changes in occupational performance were: feeding, sexual activity, sphincter control, health management and maintenance. Conclusions: supporting the adoption of habits and routines that prevent clinical complications and promote the health of people with diabetes can be an important contribution of occupational therapy in the approaches involved in maximizing occupational potentialities and engaging in meaningful and transformative activities.

Keywords: Primary Health Care, Activities of Daily Living, chronic disease, Occupational Therapy, Diabetes Mellitus.


Palavras-chave


Atenção primária em saúde; Atividades cotidianas; Diabetes Mellitus; Doenças crônicas; Terapia ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: Diabetes Mellitus. Brasília; DF: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica; 2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 36) Disponível em . Acesso em: 29/10/2015.

Goulart FAA. Doenças Crônicas Não Transmissíveis: estratégias de controle e desafios para o sistema de saúde. Brasília; 2011. Disponível em . Acesso em: 23/11/2014.

Sociedade Brasileira de Diabetes. Pesquisa mostra desconhecimento da população sobre diabetes. Nov; 2011. Disponível em: http://www.diabetes.org.br/ultimas/pesquisa-mostra-desconhecimento-da-populacao-sobre-o-diabetes>. Acesso em: 29/10/2015.

Biblioteca Virtual em Saúde. Diabetes Mellitus. Brasília; DF: Ministério da Saúde; Jun/2009. . Acesso em: 29/10/2015.

Brasil. Plano de reorganização da atenção à hipertensão arterial e ao diabetes mellitus: hipertensão arterial e diabetes mellitus. Brasília; DF: Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas; 2001. Disponível em Acesso em: 30/10/ 2015.

Marcolino TQ. Como trabalhamos com a noção de ampliação de cotidiano: considerações a partir do Método Terapia Ocupacional Dinâmica. In: Matsukura TS, Salles, MM; (orgs). Cotidiano, atividade humana e ocupação: perspectivas da terapia ocupacional no campo no campo da saúde mental, São Carlos: EdUFSCar; 2016: p.105-122.

Rodrigues LG. A arte das narrativas orais urbanas: performance, história, memória e ficção. Porto Alegre: Instituto de Letras; 2010.

Minayo MCS. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 21ºed; 2002.

Hagedorn R. Fundamentos para a prática em terapia ocupacional. São Paulo: Roca; 2003.

Batista NNLAL, Luz MHBA. Vivências de pessoas com diabetes e amputação de membros. Revista Brasileira de Enfermagem; 2012; 65(2): p.244-250. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v65n2/v65n2a07.pdf. Acesso em: 29/11/2016.

Castanharo RCT, Wolff LDG. O autocuidado sob a perspectiva da Terapia Ocupacional: análise da produção científica. Cad. Ter. Ocup. UFSCar; 2014; 22(1): p.175-18. Disponível em: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/977. Acesso em: 25/11/2016

Salomé GM, Oliveira TF, Pereira WA. O impacto da incontinência urinária na autoestima e autoimagem de pacientes diabéticos. ESTIMA; 2016; 14(3): p.127-136. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/312100011_O_impacto_da_incontinencia_urinaria_na_autoestima_e_autoimagem_de_pacientes_diabeticos. Acesso em: 20/12/2016.

Peres DS, Santos MA, Zanetti ML, Ferronato AA. Dificuldades dos pacientes diabéticos para o controle da doença: sentimentos e comportamentos. Revista Latino-americana de Enfermagem. 2007; 15(6): p.1105-1112. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rlae/article/viewFile/16184/17871. Acesso em: 02/02/2017.

Santos ECB. O cuidado sob a ótica do paciente diabético e de seu principal cuidador. Rev Latino-am Enfermagem. 2005 maio-junho; 13(3): p.397-406. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692005000300015&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 01/12/2016.

Organização Mundial da Saúde. Definindo saúde sexual: relatório de uma consulta técnica sobre saúde sexual. Genebra; 2002. Disponível em Acesso em: 27/11/2014.

Sridhar GR. Diabetes, religion and spirituality. Int J Diabetes Dev Ctries; 2013 Jan.--March; 33(1): p.5--7. Disponível em: . Acesso em: 03/11/2017.

Lancman S. Psicodinâmica do trabalho. In: Cavalcanti A, Galvão C. Terapia Ocupacional: fundamentação & prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2007.

World Health Organization. International Classification of Functioning, Disability and Health (ICF). Genebra: WHO; 2001. Disponível em: < http://www.who.int/classifications/icf/en/>. Acesso em: 21 ago. 2015.

Almeida BRS. A relevância do sono como necessidade humana básica no cenário de paciente crítico. Brasília: [s.n]; 2015. 65f. Monografia (Graduação). Universidade de Brasília. Faculdade de Ceilândia. Curso de Enfermagem. 2015. Disponível em: http://bdm.unb.br/bitstream/10483/11540/1/2015_BrunoRatierSaconideAlmeida.pdf. Acesso em: 15/03/2016

Sociedade Brasileira do Sono. I Consenso Brasileiro de Insônia; out 2003. Disponível em: http://www.ic.unicamp.br/~wainer/cursos/2s2008/ia/pdf_consenso.pdf. Acesso em: 12 /11/2017.

Potter PA, Perry AG. Sono. In: Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2007.

Cunha MCB, Zanetti ML, Hass VJ. Qualidade do sono em diabéticos do tipo 2. Rev Latino-am Enfermagem; 2008 setembro-outubro; 16(5): p.01-08. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v16n5/pt_09.pdf. Acesso em: 3/11/2017.

Passamai MPB, Sampaio HAC, Dias AMI, Cabral LA. Letramento funcional em saúde: reflexões e conceitos sobre seu impacto na interação entre usuários, profissionais e sistema de saúde. Interface - Comunic., Saúde, Educ; 2011; 16(41):p.301-314. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832012005000027&script=sci_abstract. Acesso em: 15/03/2016.

Pace AE, Ochoa-Vigo KV, Nunes PD. O conhecimento dos familiares acerca da problemática do portador de diabetes mellitus. Rev Latino-am Enfermagem; 2003 maio-junho; 11(3): p.312-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692003000300008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 4/11/2017

Zanetti ML, Mendes IAC. Tendência do locus de controle de pessoas diabéticas. Rev Esc Enfermagem USP; 1993 agosto; 27(2): p.246-62. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v27n2/0080-6234-reeusp-27-2-246.pdf. Acesso em: 06/01/2017

Wlra. Carta Internacional de Educação para o Lazer. Disponível em: . Acesso em: 04 de nov.2017.

Tavares AA, Freitas LM, Silva FCM, Sampaio RF. (RE) Organização do cotidiano de indivíduos com doenças crônicas a partir da estratégia de grupo. Cad. Ter. Ocup. UFSCar; 2012; 20(1): p.95-105. Disponível em: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/viewFile/553/367. Acesso em: 06/01/2017

Benetton J. O encontro do sentido do cotidiano na Terapia Ocupacional para a construção de significados. Revista Ceto; 2010; 12(12): p.32-39. Disponível em: http://www.ceto.pro.br/revistas/12/12-06.pdf. Acesso em: 4/11/2017

Franco TB, Bueno WS, Merhy EE. O Acolhimento e os Processos de Trabalho em Saúde: O Caso de Betim, Minas Gerais, Brasil. Cadernos de Saúde Pública; 1999 abr/jun; 15(2): p.345-353. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v15n2/0319.pdf. Acesso em: 15/03/2015

Teixeira RR. O acolhimento num serviço de saúde entendido como uma rede de conversação. In: Mattos RA, Pinheiro R. (Org.). Construção da Integralidade: Cotidiano, Saberes e Práticas em Saúde. Rio de Janeiro: IMS/Abrasco; 2003. p.89-111.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto15038

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB