Conceito Bobath e ocupação trabalho na reabilitaão do paciente pós-AVE / Bobath concept and occupation work in the rehabilitation of post-stroke patients

Laiane Sousa Almeida, Alice Araújo Silva, Glenda Miranda da Paixão, Thâmela Thaís Santos dos Santos

Resumo


Introdução: O Acidente Vascular Encefálico (AVE) representa a terceira causa de morte natural da população adulta no mundo. Já no Brasil, representa a primeira causa de morte e incapacidade em sua população, gerando dessa forma um grande impacto econômico e social. Em sobreviventes as principais  sequelas são as alterações cognitivas e sensório-motoras. Objetivo: Avaliar os efeitos da reabilitação de pacientes pós-AVE utilizando terapia baseada no conceito Bobath e realização de atividades relacionadas a ocupação trabalho em setting terapêutico. Métodos: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, delineamento longitudinal, do tipo estudo de caso, realizado por meio de sessões individuais com dois pacientes com sequelas de AVE na Universidade Federal do Pará. Os instrumentos de avaliação e reavaliação iniciais incluem o Wolf Motor Function Test (WMFT), avaliação de Fugl Meyer e Canadian Occupational Performance Measurement (COPM). Resultados: A terapia utilizada no estudo favoreceu ganhos funcionais como velocidade e qualidade do movimento, amplitude de movimento, coordenação motora e força muscular, além de melhorar o desempenho ocupacional e a satisfação dos clientes. Conclusão: A associação do conceito neuroevolutivo e a realização de atividades relacionadas a ocupação profissional na reabilitação de indivíduos após o AVE tem resultados positivos na melhora motora, no desempenho ocupacional e na satisfação do cliente, além de potencializar também o engajamento e motivação do paciente na terapia.

 

Abstract

Introduction: Stroke is the third leading cause of natural death among the adult population in the world. In Brazil, it represents the first cause of death and disability in its population, thus generating a great economic and social impact. In survivors the main sequelae are cognitive and sensorimotor changes.Objective: To evaluate the effects of rehabilitation of post-stroke patients using therapy based on Bobath Concept, with a focus on work. Methods: This is a qualitative research, longitudinal design, case study, conducted through individual sessions with two patients with stroke in an Occupational Therapy clinic of the Universidade Federal do Pará. Initial assessment and reassessment instruments include the Wolf Motor Function Test (WMFT), Fugl Meyer Assessment and Canadian Occupational Performance Measurement (COPM). Results: The therapy used in the study favored functional gains such as speed and quality of movement, range of motion, motor coordination and muscle strength, as well as improved occupational performance and client satisfaction. Conclusion: The association of the Neuroevolutionary Concept and the Work Occupation in the rehabilitation of individuals after stroke has positive results in motor improvement and in central aspects of occupational therapeutic practice.

Keywords: Stroke, Neurological Rehabilitation, Occupational Therapy.

 

Resumen

Introducción: El accidente cerebrovascular es la tercera causa principal de muerte natural entre la población adulta del mundo. En Brasil, representa la primera causa de muerte y discapacidad en su población, generando así un gran impacto económico y social. En los sobrevivientes, las secuelas principales son los cambios cognitivos y sensoriomotores.Objetivo: Evaluar los efectos de la rehabilitación de pacientes post accidente cerebrovascular utilizando terapia basada en el concepto Bobath, con un enfoque en el trabajo. Métodos: Esta es una investigación cualitativa, diseño longitudinal, estudio de caso, realizada a través de sesiones con dos pacientes con accidente cerebrovascular en una clínica de Terapia Ocupacional en la Universidad Federal de Pará. Las herramientas de evaluación inicial y reevaluación incluyen Motor Function Test (WMFT), Fugl Meyer y Assessment and Canadian Occupational Performance Measurement (COPM). Resultados: La terapia utilizada en el estudio favoreció ganancias funcionales tales como velocidad y calidad de movimiento, rango de movimiento, coordinación motora y fuerza muscular, además de mejorar el desempeño ocupacional y la satisfacción de los clientes. Conclusión: La asociación del concepto neuroevolucionario y la ocupación profesional en la rehabilitación de individuos después del accidente cerebrovascular tiene resultados positivos en la mejora motora y en los aspectos centrales de la práctica terapéutica ocupacional.

Palabras clave: Accidente cerebrovascular, Rehabilitación Neurológica, Terapia Ocupacional.

 


Palavras-chave


Acidente Vascular Cerebral; Reabilitação Neurológica; Terapia Ocupacional

Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes de atenção à reabilitação da pessoa com acidente vascular cerebral. Brasília (DF); 2013.

Cecatto RB. Acidente Vascular Encefálico: aspectos clínicos. In: Cruz, DMC. Terapia Ocupacional na reabilitação pós-acidente vascular encefálico. São Paulo: Santos Editora, 2012. p. 03-18.

Gamba RT, Cruz DMC. Efeitos da Terapia por Contensão Induzida em longo prazo em pacientes pós-AVC. Rev Neurociênc. 2011;19(4):735-740.

Magri M, Silva NSS, Nielsen MBP. Influência da inervação recíproca na recuperação da função motora de paciente hemiplégico por acidente vascular cerebral. Fisioter Bras; 4(3):223-226.

Cruz KCT, Diogo MJD. Avaliação da capacidade funcional de idosos com acidente vascular encefálico. Acta Paul Enferm. 2009;22(5):666-672.

Pontes TB, Polatajko H. Habilitando ocupações: prática baseada na ocupação e centrada no cliente na Terapia Ocupacional. Cad. Ter. Ocup. 2016;24(2):403-412.

American Occupational Therapy Association. Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo - 3ª ed. traduzida. Rev. Ter. Ocup. Univ. 2015;26:1-9.

Giles MF, Rothwell PM. Measuring the prevalence of stroke. Neuroepidemiology.2008, 30:205-6, 2008.

Shin CG, Toldrá RC. Terapia ocupacional e acidente vascular cerebral: revisão integrativa da literatura. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2015;23(4):843-854.

Tonús D, Queiroz LF. Aplicação da Terapia de Contensão Induzida com protocolo adaptado para atendimento domiciliar e suas contribuições no quadro motor e na reabilitação de paciente pós-acidente vascular encefálico. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2015;23(3):543-552.

Brandalize D, Brandalize M. Evidências sobre a prática mental de tarefas na reabilitação da extremidade superior após acidente vascular encefálico: uma revisão sistemática. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2015;23(4):829-842.

Cardoso MM, Lobo DC, Cruz MJ, Monteiro RPA, Seabra AD, Paixão GM, Bahia CP. Abordagens específicas em Terapia Ocupacional em reabilitação após Acidente Vascular Encefálico. Rev. Interinst. Bras. Ter. Ocup. Rio de Janeiro. 2019;3(2): 191-209.

Mikolajewska E. Normalized gait parameters in NDT-Bobath post-stroke gait rehabilitation. Central european journal of medicine. 2011;7(2):176-182.

Alcântara CB, Byrro-Costa CM, Lacerda HS. Tratamento Neuroevolutivo - conceito Bobath. In: Reabilitação em Paralisia Cerebral. Rio de Janeiro: MedBook Editora Científica Ltda. 2010, 20: 315-347.

López de la Fuente MJ. Teorías del control motor, principios de aprendizaje motor y concepto Bobath. A propósito de un caso en terapia ocupacional. TOG (A Coruña) [revista en Internet]. 2013 [acesso 15 de Jul de 2019];10(18):1-27.

International Bobath Instructors Training Association. Theoretical assumptions and clinical practice [internet]. 2010 [acesso em 09 jul 2019] . Disponível em: http://www.ibita.org.

Costa VS, Melo LP, Bezerra VT, Souza FHM. Efeitos da aplicação do método bobath e do treino em esteira com suporte parcial de peso na reabilitação da marcha pós-AVC: uma revisão sistemática. Rev bras ciênc saúde. 2014, 18(2):161-6.

Stoffel DP, Nickel R. A utilização da atividade como ferramenta no processo de intervenção do terapeuta ocupacional em reabilitação neurológica. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. 2013; 21(3):617-622.

Huseyinsinoglu BE, Ozdincler AR, Krespi Y. Bobath Concept versus constraint-induced movement therapy to improve arm functional recovery in stroke patients: a randomized controlled trial. Clin Rehabil. 2012;26(8):705-715

Michielsen M, Vaughan-Graham J, Holland A, Magri A, Suzuki M. The Bobath concept – a model to illustrate clinical practice. Disability and Rehabilitation. 2017.

Pereira ND, Michaelsen SM, Menezes IS, Ovando AC., Lima RC, Teixeira-Salmela LF. Confiabilidade da versão brasileira do Wolf Motor Function Test em adultos com hemiparesia. Rev Bras Fisioter. 2011;15(3):257-65.

Teles MS, Gusmão C. Avaliação funcional de pacientes com Acidente Vascular Cerebral utilizando o protocolo de Fugl-Meyer. Rev Neurocienc. 2012; 20(1):42-49.

Skubik-Peplaski C, Custer M, Powell E, Westgate PM, Sawaki L. Comparing Occupation-Based and Repetitive Task Practice Interventions for Optimal Stroke Recovery: A Pilot Randomized Trial. Physical & Occupational Therapy In Geriatrics. 2017;35: 1-13.

Díaz-Arribas MJ, Martín-Casas P, Cano-de-la-Cuerda R, Plaza-Manzano G. Effectiveness of the Bobath concept in the treatment of stroke: a systematic review. Disability and Rehabilitation. 2019.

Caldas ASC, Facundes, VLD, Silva HJ. O uso da Medida Canadense de Desempenho Ocupacional em estudos brasileiros: Uma revisão sistemática. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2011;22(3): 238-244.

Bobath B. Hemiplegia em adultos: avaliação e tratamento. 3 ed. São Paulo: Manole; 2001.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto34016

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB