A relação entre os princípios da integração sensorial e dificuldades de aprendizagem na visão dos professores de educação infantil na cidade de Lagarto/SE/ The relation between the principles of sensorial integration and learning difficulties by the view of teachers from child education in the city of Lagarto/SE

Hédila de Almeida Matos, Maria Natália Santos Calheiros, Jessyca Gabrielle Albuquerque Virgolino

Resumo


O presente estudo tem como objetivo entender a percepção dos professores de educação infantil sobre os princípios da Integração Sensorial (IS), assim como a identificação dos sinais sugestivos de Disfunção de Processamento Sensorial (DPS) e as atribuições ao processo de aprendizagem. A amostra foi constituída de 13 professores vinculados a 3 escolas de educação infantil do município, com os quais aplicou-se um questionário e uma entrevista semiestruturada. Através desta coleta, foi possível encontrar uma dificuldade no reconhecimento dos princípios de IS, assim como na relação dos comportamentos das crianças que apresentam dificuldades de aprendizagem com sinais de DPS ocorrendo uma atribuição desses acontecimentos a fatores familiares e da idade infantil. Contudo, conclui-se que os professores não possuem preparação para lidar com crianças que apresentem demandas relacionadas a DPS e que eles não conseguem compreender a importância de uma melhor investigação e avaliação dessas crianças por um profissional habilitado como o terapeuta ocupacional.

Palavras-chave: processamento sensorial, aprendizagem, professores, crianças.

Abstract

The present study aims to understand the perception of early childhood education teachers about the principles of Sensory Integration (IS), as well as the identification of signs suggestive of Sensory Processing Dysfunction (DPS) and attributions to the learning process. The sample consisted of 3 early childhood education schools that together present a total of 49 teachers, of which only 13 agreed to participate in the research, where a questionnaire was applied and a semi-structured interview was conducted with the objective of profiling these teachers. Through this collection it was possible to find a difficulty in recognizing the principles of S, as well as in the relationship of the behaviors of children who present learning difficulties with signs of SD, with an attribution of these events to family factors and child age. However, it is concluded that teachers are not prepared to deal with children who present demands related to Sensory Processing Dysfunction, and that they cannot understand the importance of better investigation and evaluation of these children, by a qualified professional such as the Occupational Therapist.

Keywords: sesorial processing, learning, teaching, children.

Resumen

El presente estudio tiene como objetivo comprender la percepción de los maestros de educación en la primera infancia sobre los principios de la Integración Sensorial (IS), así como la identificación de signos sugestivos de la Disfunción del Procesamiento Sensorial (DPS) y las atribuciones al proceso de aprendizaje. La muestra consistió en 3 escuelas de educación infantil que en conjunto presentan un total de 49 profesores, de los cuales sólo 13 acordaron participar en la investigación, donde se aplicó un cuestionario y se realizó una entrevista semiestructurada con el objetivo de perfilar a estos profesores. A través de esta colección fue posible encontrar una dificultad para reconocer los principios de S, así como en la relación de los comportamientos de los niños que presentan dificultades de aprendizaje con signos de SD, con una atribución de estos eventos a factores familiares y edad infantil. Sin embargo, se concluye que los maestros no están preparados para tratar con niños que presentan demandas relacionadas con la Disfunción del Procesamiento Sensorial, y que no pueden entender la importancia de una mejor investigación y evaluación de estos niños, por un profesional calificado como el terapeuta ocupacional.

Palabras clave: procesamiento sensorial, aprendizaje, profesores, niños.


Palavras-chave


Processamento sensorial; Aprendizagem; Professores; Crianças

Texto completo:

PDF

Referências


Shimizu VT; Miranda MC. Processamento sensorial na criança com TDAH: uma revisão da literatura. Revista Psicopedagogia. 2012; 29(89): 256-268.

Ayres, AJ. Sensory Integration and praxis tests manual. Los Angeles: Western Psychological Services; 1998.

Ayres AJ. Sensory Integration and the Child: understanding hidden sensory challenges. Los Angeles: Western Psychological Services; 2005.

Momo ARB; Silvestre C; GracianiZ. O processamento sensorial como ferramenta para educadores: Facilitando o processo de aprendizagem. São Paulo: Menno; 2011.

Parham LD; Mailloux Z. Sensory integration. In: Case-Smith J, ed. Occupational therapy for children. St. Louis: Elsevier; 2005. p.356-411.

Fonseca V. Integração sensorial e aprendizagem: introdução à obra de Ayres. In:Fonseca V, Desenvolvimento psicomotor e aprendizagem. Porto Alegre: Artmed; 2008. p. 325- 51.

Rocha FB; Dounis AB. Perfil Sensorial de estudantes da primeira série do ensino fundamental: análise e comparação com o desempenho escolar. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. São Carlos. 2013; 21(2): 373-382.

Lira, AVAP. Noções de Integração Sensorial na Escola: Orientações para inclusão. Rio de Janeiro, 2014.

Miller LJ; Anzalone ME; Lane SJ; Cermak SA;Osten ET. Concept evolution in sensory integraLtion: a proposed nosology for diagnosis. Am J OccupTher. 2007; 61 (2):135-40.

Serrano P. A Integração Sensorial no desenvolvimento e aprendizagem da criança. Lisboa; 2016

May- Benson TA;Koomar JA. A Systematic review of the research evidence examining the effectiveness of interventions using a sensory integrative approach for children. America Journal of Occupation Therapy. 2010; 64(3): 403-414.

Romanelli EJ. Neuropsicologia aplicada aos distúrbios de aprendizagem: prevenção e terapia. In: Melo M.M., Ribeiro L.A., eds. Temas em educação II. Curitiba: Futuro Congressos e

Eventos; 2003. p.49-62.

Carmo ALC. Estudo comparativo do desempenho motor de base sensorial entre crianças com desenvolvimento típico e crianças com dificuldades de aprendizagem específicas. Lisboa; 2013

Silva J; Beltrame T. Desempenho motor e dificuldades de aprendizagem em escolares com idades entre 7 e 10 anos. Motricidade. 2011; 7(2): 57-68.

Shimizu VT. Perfil das Habilidades dos Processamentos Sensorial em crianças com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH). Guarulhos; 2011.

Matos MG. Comunicação e Gestão de conflitos na escola. Lisboa: EMG-Universidade de

Lisboa; 1997.

Sholl-Franco Alfred; Miguel AC; Cardoso F. Treinamento e Capacitação de Professores e

Profissionais da Educação: importância para o ensino infantil. In: Alvaro M. Neurociências e Educação na Primeira Infância: progressos e obstáculos. Brasilia: Segraf; 2016. p. 109-120.

Nascimento RP. Preparando professores para promover a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. Programa de Desenvolvimento Educacional - Pde, Governo do Estado do Paraná. Londrina; 2008.

Miller, I. Six Promising Directions in Applied Linguistics (Eds) Understanding the Language Classroom. New York: Palgrave/ McMillan; 2006.

Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Resolução Nº 483, de 12 de Junho de 2017.Reconhece a utilização da abordagem de Integração Sensorial como recurso terapêutico da Terapia Ocupacional e dá outras providências. Diário Oficial da União 3 de jul 2017.

Ciasca SM; Rossini SD. Distúrbios de aprendizagem: mudanças ou não?Temas sobre Desenvolvimento. São Paulo. 2000; 8(48): 11-16.

Lopes RCS., A relação professor aluno e o processo ensino aprendizagem.In:Especialista em Alfabetização. Pedagoga da Rede Pública Estadual, Paraná; 2009.

Dalfovo MS; Lana RA; Silveira A. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, Blumenau. 2008; 2(4): 01-13.

Contandriopoulos, A. P.; Champagne, F.; Potvin, L.; Denis, J. L.; Boyle, P. Saber preparar

uma pesquisa. São Paulo: Hucitec, Abrasco; 1999.

Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70; 2009.

Souza JRB. Formação Continuada de Professores: Transtorno do Processamento Sensorial e as consequências para o desempenho escolar. 2014. [Dissertação] São Carlos: Universidade Federal de São Carlos; 2014.

Amato AAG.O Papel do Professor de Educação Infantil e o Processo de EnsinoAprendizagem de Crianças Inclusivas. Brasília; 2011.

Bazanela JL. Jogos e Brincadeiras e suas contribuições para a integração sensorial das

crianças da Educação Infantil. [Monografia] Medianeira: Universidade Tecnológica Federal do

Paraná; 2014.

Maia ASN; Santana MRR; Pestana SCC. Metodologias de intervenção do terapeuta ocupacional em contexto escolar com crianças com Necessidades Educativas Especiais em Portugal. Cad. Ter. Ocup. UFSCar. São Carlos. 2016; 24(4): 681-693.

Lourenço GF; Cid Barboza MF. Possibilidades de ação do Terapeuta Ocupacional na Educação Infantil: congruência com a proposta da educação inclusiva. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Ca Carlos. 2010; 18(2): 169-179.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto34926

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB