Guia de intervenção precoce como recurso terapêutico ocupacional para cuidadores de crianças hospitalizadas/Early intervention guide as occupational therapeutic resource for hospitalized child caregivers

Maria Luiza Valeriano Oliveira, Daniela Yumi Hirosue, Vânia Uemura Paulino, Alexandre Lins Werneck, Lilian Castiglioni, Maysa Alahmar Bianchin

Resumo


Introdução: Os primeiros anos de vida de uma criança são essenciais para seu desenvolvimento neuropsicomotor. Quando a criança está hospitalizada, o acompanhamento de seu desenvolvimento se torna importante para a promoção de saúde, prevenção de agravos e a identificação de atraso motor, cognitivo, sensorial e social. Objetivo: Apresentar um guia de orientação aos cuidadores de crianças hospitalizadas sobre intervenção precoce, para avaliá-lo como recurso informativo sobre o desenvolvimento infantil. Método: Pesquisa de corte transversal, com delineamento descritivo, abordagem quantitativa com correlação entre variáveis, desenvolvida em um hospital-escola infantil de nível terciário. Participaram 21 cuidadores de crianças hospitalizadas com faixa etária de 0 a 24 meses, durante o período de maio a julho de 2020. Foram aplicados três questionários semiestruturados (um para caracterização da amostra e os outros dois para comprovar a eficácia do guia). Foi distribuído um guia impresso aos cuidadores. Os dados foram analisados estatisticamente, usando estatística descritiva e inferencial. Resultados: A maioria dos participantes (95,24%) era de mães das crianças, cuja média de idade foi de 6±5,74 meses. Os diagnósticos prevalentes foram as cardiopatias (57,14%) e tempo de internação em torno de 66±44,78 dias. Com a aplicação dos questionários, foi possível identificar o interesse dos cuidadores em receber informações sobre o desenvolvimento infantil e utilizar o guia como recurso para orientá-los sobre como propiciar estímulos saudáveis às crianças. Conclusão: O guia se mostrou um recurso informativo de grande valia, pois permite que os cuidadores se atentem à prevenção de atrasos no desenvolvimento e proporcionem maior qualidade de vida às crianças durante a internação e também no domicílio.

Palavras-chave: Guia de estudo como assunto. Intervenção precoce. Terapia Ocupacional. Desenvolvimento Infantil. Cuidadores. Criança hospitalizada.

 

Abstract
Introduction: The first years of a child's life are essential for their neuropsychomotor development. When the child is hospitalized, monitoring their development becomes essential for health promotion, disease prevention, and identifying motor, cognitive, sensory, and social delays. Objective: Present an orientation guide for caregivers of hospitalized children on early intervention to evaluate it as an informative resource on child development. Method: We carried out a cross-sectional with a descriptive design, using a quantitative approach, developed in a tertiary-level children's teaching hospital. Participants were 21 caregivers of hospitalized children aged 0 to 24 months, from May to July 2020. Three semi-structured questionnaires were applied (one to characterize the sample and the other two to prove the guide's effectiveness). A printed guide was distributed to caregivers. Data were statistically analyzed using descriptive and inferential statistics. Results: Most participants (95.24%) were mothers of the children, whose mean age was 6±5.74 months. The principal diagnoses were heart disease (57.14%) and length of hospital stay around 66±44.78 days. With the application of the questionnaires, it was possible to identify the caregivers' interest in receiving information about child development and using the guide as a resource to guide them on how to provide healthy stimuli to children. Conclusion: The guide proved to be an informative resource of great value, as it allows caregivers to pay attention to the prevention of developmental delays and provide a better quality of life for children during hospitalization and at home.

Keywords: Study guide as topic. Early intervention. Occupational therapy. Child development. Caregivers. Child Hospitalized.

 

Resumen

Introducción: Los primeros años de vida del niño son fundamentales para su desarrollo neuropsicomotor. Cuando el niño está hospitalizado, el seguimiento de su desarrollo se vuelve fundamental para la promoción de la salud, la prevención de enfermedades y la identificación de retrasos motores, cognitivos, sensoriales y sociales. Objetivo: Presentar una guía de orientación para cuidadores de niños hospitalizados sobre intervención temprana para evaluarla como recurso informativo sobre el desarrollo infantil. Método: Se realizó un estudio transversal con diseño descriptivo, con enfoque cuantitativo, desarrollado en un hospital de enseñanza infantil de tercer nivel. Participaron 21 cuidadores de niños hospitalizados de 0 a 24 meses, de mayo a julio de 2020. Se aplicaron tres cuestionarios semiestructurados (uno para caracterizar la muestra y los otros dos para comprobar la efectividad de la guía). Se distribuyó una guía impresa a los cuidadores. Los datos se analizaron estadísticamente mediante estadística descriptiva e inferencial. Resultados: La mayoría de las participantes (95,24%) eran madres de los niños, cuya media de edad fue de 6±5,74 meses. Los principales diagnósticos fueron cardiopatía (57,14%) y estancia hospitalaria en torno a 66±44,78 días. Con la aplicación de los cuestionarios se logró identificar el interés de los cuidadores en recibir información sobre el desarrollo infantil y utilizar la guía como recurso para orientarlos sobre cómo brindar estímulos saludables a los niños. Conclusión: La guía demostró ser un recurso informativo de gran valor, ya que permite a los cuidadores prestar atención a la prevención de retrasos en el desarrollo y brindar una mejor calidad de vida a los niños durante la hospitalización y en el hogar.

Palabras clave: Guías de estudio como assunto. Intervención Temprana. Terapia ocupacional. Desarrollo infantil. Cuidadores. Niño hospitalizado.


Palavras-chave


Guia de estudo como assunto. Intervenção precoce. Terapia Ocupacional. Desenvolvimento Infantil. Cuidadores. Criança hospitalizada.

Texto completo:

PDF

Referências


Bee, H., & Boyd, D (2011). Nascimento e Primeira Infância. In: H. Bee & D. Boyd. A Criança em desenvolvimento. (pp. 83-108). Porto Alegre: Artmed.

Buffone, F. R. R. C., Eickman, S. H., & Lima, M. C. (2016). Processamento sensorial e desenvolvimento cognitivo de lactentes nascidos pré-termo e a termo. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, 24(4):695-703. https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoAO0731

Carlo, M. M. R. P., & Kudo, A. M. (2017). Terapia Ocupacional em Unidades de Terapia Intensiva. In: M.M.R.P. Carlo & A.M. Kudo. Terapia ocupacional em contextos hospitalares e cuidados paliativos. (pp. 311-329). São Paulo: Payá.

Della Barba, P. C. S. (2020). Intervenção de terapia ocupacional centrada na família. In: L.I. Pfeifer & M.M.M. Sant´Anna. Terapia Ocupacional na infância: procedimentos na prática clínica. (pp. 172-189). São Paulo: Memnon.

Grigolatto, T., Chaves, G. F. S., Silva, M. B. D. C., & Pfeifer, L. I. (2008). Intervenção Terapêutica Ocupacional em CTI Pediátrico: um estudo de caso. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, 16(1):37-46. http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/131

Guerra, M. Q. F., Lucisano, R. V., Della Barba, P. C. S., Sant´Anna, M. M. M., & Pfeifer, L. I. (2020). Intervenção de terapia ocupacional no primeiro ano de vida. In: L.I. Pfeifer & M.M.M. Sant´Anna. Terapia Ocupacional na infância: procedimentos na prática clínica. (pp. 156-171). São Paulo: Memnon.

Hospital da Criança e Maternidade. Sobre o HCM [homepage na internet]. http://www.hcmriopreto.com.br/.

Martinez, C. M. S., Joaquim, R. H. V. T., Oliveira, E. B., & Santos, I. C. (2007). Suporte informacional como elemento para orientação de pais de pré-termo: um guia para o serviço de acompanhamento do desenvolvimento no primeiro ano de vida. Rev. bras. fisioter., São Carlos, 11(1): 73-81. https://doi.org/10.1590/S1413-35552007000100012.

Mendes, L. J., Ribeiro, A. S. C., Toqueti, L. G., & Almohalha, L. (2020). Avaliação motora para prevenção de deficiências do bebê pré-termo e em risco de atraso no desenvolvimento. Rev. Interinst. Bras. Ter. Ocup. Rio de Janeiro, 4(5):774-784. https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto34330.

Menezes, M., Moré, C. L. O. O., Barros, L. (2016). As Redes Sociais dos Familiares Acompanhantes durante Internação Hospitalar de Crianças. Rev Esc Enferm USP, 50(n.esp):107-113. https://doi.org/10.1590/S0080-623420160000300016

Ministério da saúde (2016). Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes de estimulação precoce - Crianças de zero a 3 anos com Atraso no Desenvolvimento Neuropsicomotor Decorrente de Microcefalia. Brasília, DF: Editora do Ministério da Saúde, 123p. http://www.saude.go.gov.br/public/media/ZgUINSpZiwmbr3/20066922000062091226.pdf

Moraes, B. R., Bassi, D., Santos, P. H. M., Santos de-Araújo, A. D., Matias, P. H. V. A. S., & Calles, A. C. N (2019). Desenvolvimento neuropsicomotor de crianças com cardiopatias congênitas. Rev Pesqui Fisioter, 9(3):316-320. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v9i3.2386.

Paula, I. R., Oliveira, J. C. S., Batista, A. C. F., Nascimento, L. C. S., Araújo, L. B., Ferreira, M. B., Gomes, M. B., & Azevedo, V. M. G. O. (2020). Influência da cardiopatia congênita no desenvolvimento neuropsicomotor de lactentes. Fisioterapia e Pesquisa, 27(1), 41-47. https://doi.org/10.1590/1809-2950/18039627012020.

Peruzzolo, D. L., Barbosa, D. M., & Souza, A. P. R. (2018). Terapia Ocupacional e o tratamento de bebês em intervenção precoce a partir de uma Hipótese de Funcionamento Psicomotor: estudo de caso único. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, 26(2):409-421. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoAO1155

Pyló, R. M., Peixoto, M. G., & Bueno, K. M. P. (2015). O cuidador no contexto da hospitalização de crianças e adolescentes. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, 23(4): 855-862.https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoAR0673

Resegue, R., Puccini, R. F., & Silva, E.M.K.S (2007). Fatores de risco associados a alterações no desenvolvimento da criança. Pediatria, 29(2):117-128. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-471432?lang=pt

Santos, M. M. (2017). Impacto de fatores intrínsecos e extrínsecos sobre o desenvolvimento de lactentes prematuros e a termo. [Tese de Doutorado, Universidade Federal de São Carlos]. https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9104

Rossit, R. A. S., Corrêa, C. G., França, K. G. B., & Rodrigues, R. S. (2013). Avaliação do desenvolvimento de crianças hospitalizadas e orientação de cuidadores para a estimulação. Extramuros, Petrolina, 1(1): 19-32. https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/extramuros/article/view/602

Sousa, T. A. (2015). Perspectivas de Atuação do Terapeuta Ocupacional na Linha de Cuidado Atenção à Saúde do Recém-nascido. [Monografia de Conclusão do curso, Universidade Federal da Paraíba]. https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/1635

Souza, N. C. M., Lima, A. C. V. M. S., Gagliardo, H. G. R. G., Albuquerque, R. C., Cardoso, T. C., Cavalcanti, F. R. R, & Coêlho, R. E. A. (2011). Comportamento visual e perfil socioeconômico e demográfico de recém-nascidos prematuros da Maternidade do Hospital das Clínicas de Pernambuco - UFPE. Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, 74(1), 33-36. https://doi.org/10.1590/S0004-27492011000100008

Souza, A. C., & Marino, M. S. F. (2013). Atuação do Terapeuta Ocupacional com criança com atraso do desenvolvimento neuropsicomotor. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, 21(1): 149-153. http://dx.doi.org/10.4322/cto.2013.019

United Nations International Children's Emergency Fund (2017). Early Childhood Development: For every child, early moments matter. [Acesso em: 12 de maio de 2019]. Disponível em: http://www.unicef.org/dprk/ecd.pdf




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto42412

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB