Repercursões dos transtornos de processamento sensorial ao desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral / Repercussions of sensory processing disorders in the functional skills of children with cerebral palsy

Deyvianne Thayanara de Lima Reis, Renata Moura da Costa, Lilian Voughan Lima de Oliveira

Resumo


A Paralisia Cerebral (PC) é definida como uma disfunção neurológica ou como lesão não progressiva do sistema nervoso central. É uma patologia com distúrbio de movimento e postura que pode coexistir com déficits de processamento sensorial. Poucos estudos mostram a associação entre esse déficit e as alterações do desempenho motor. Assim, o principal objetivo deste estudo é conhecer o Perfil Sensorial de crianças com Paralisia Cerebral e suas repercussões para o desempenho funcional nas atividades de vida diária. Em relação à metodologia a amostra foi composta por 29 crianças com paralisia cerebral na faixa etária entre 3 e 7 anos e meio. A coleta dos dados realizou-se através dos instrumentos “Perfil Sensorial” e “Inventário Pediátrico de Avaliação das Incapacidades (PEDI)”, o GMFCS ( Sistema de Classificação da Função Motora Grossa) foi usado como critério de exclusão. Os resultados mostraram que há relações entre essas dimensões. Houve correspondência entre o Pedi Funcional com o item respostas emocionais/sociais do Perfil Sensorial, assim identificou-se possíveis transtornos de processamento sensorial nas habilidades funcionais de crianças com Paralisia Cerebral.

 

Cerebral palsy (CP) is defined as a neurological dysfunction or as a non-progressive central nervous system injury. It is a pathology with movement and posture disturbance that can coexist with sensory processing deficits. Few studies show the association between this deficit and changes in motor performance. Thus, the main objective of this study is to know the Sensory Profile of children with Cerebral Palsy and its repercussions for functional performance in daily life activities. The study sample consisted of 29 children with cerebral palsy in the age bracket between 3 and 7 and a half years. The data were collected through the instruments "Sensorial Profile" and "Pediatric Inventory of Disability Assessment (PEDI)." The Gross Motor Function Classifiction System (GMFCS) was used as the exclusion criterion. Showed that there are relationships between these dimensions. There was a correspondence between the Functional Pedi with the item emotional / social responses of the Sensory Profile, thus identified possible sensory processing disorders in the functional abilities of children with cerebral palsy.


Keywords: Child; Independence; Sensory Threshold; Cerebral Palsy; Occupational therapy.

 

La parálisis cerebral (CP) se define como una disfunción neurológica o como una lesión no progresiva en el sistema nervioso central. Es un trastorno del movimiento y la postura con la patología que puede coexistir con déficit de procesamiento sensorial. Pocos estudios muestran la asociación entre este déficit y los cambios en el rendimiento motor. Así, el objetivo de este estudio es conocer el perfil sensorial de los niños con parálisis cerebral y su impacto en el rendimiento funcional en relación con actividades de la vida diária. La metodología consistió en 29 niños con parálisis cerebral con edades comprendidas entre los 3 y 7 años y medio. La recopilación de datos se llevó a cabo a través de los instrumentos "del perfil sensorial" y "Inventario de evaluación Pediátrica de la Discapacidad (PEDI)". El Sistema de Classificación de la Función Bruto del motor (GMFCS) se utilizó como un criterio de exclusión. Ellos demostraron que existen relaciones entre éstos. Hubo corespondencia entre el elemento funcional PEDI con las respuestas emocionales / sociales del perfil sensorial, así que identifican posibles trastornos del procesamiento sensorial en las capacidades funcionales de los niños con parálisis cerebral.

Palabras clave: Niño; la independencia; Los umbrales sensoriales; Parálisis Cerebral; Terapia ocupacional.


Palavras-chave


Criança; Independência; Limiar Sensorial; Paralisia Cerebral; Terapia ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Fonseca, V. Integração Sensorial e Aprendizagem: introdução à obra de Ayres. In: Desenvolvimento psicomotor e aprendizagem. Artmed. 2008. 10:325-365.

Bee, H. A criança em desenvolvimento. Artmed. 2003; 9.

Lenzi, C.R.M, Vieira, H.H. Implantação da Terapia de Integração Sensorial na APAE de Blumenau - SC. In: CONGRESSO ESTADUAL DAS APAES; 2010; Blumenau. Anais eletrônicos [acesso em 2011 ago 16]. Disponível em: .

Zanini, G; Cemin N. Paralisia Cerebral: causas e prevalências. Rev Fisio do Mov. 2009 [acesso em 2014 ago 13]. 22(3): 375-381. Disponível em: . Acesso em: 13 Ago 2014.

Silva, M.S, Beltrami-Daltrário, S.M.B. Paralisia cerebral: desempenho funcional após treinamento da marcha em esteira. Fisioterapia em Movimento. 2008 [acesso em 2015 ago 19]; 2:15-109. Disponível em: < http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/rfm >.

Chagas, P.S.C.; et al. Classificação da função motora e do desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral. Rev Bras de Fisio. 2008; 12: 9-400.

Oliveira, A.I.A. Integrando tecnologias para leitura de crianças comparalisia cerebral na educação inclusiva [tese]. Belém: Universidade Federal do Pará; 2010.

Farias, F. C. "Paralisia cerebral e transtorno do processamento sensorial." (2010).

Sandor, E.R.S. Paralisia Cerebral: repercussões no contexto familiar [dissertação]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos; 2011.

Cohn, E.S. et al. Modelos explicativos dos pais e esperanças para os resultados de terapia ocupacional, utilizando um integração sensorial. Jor Amer de Ter Ocup. 2014 [acesso em 2015 set 4]. 68: 454--462. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.5014/ajot.2014.010843>. [tradução autores].

Goodrich, H. M. Z. Introdução à teoria de processamento sensorial. Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium de Lins. 2010. Apostila preparada para curso de Especialização [acesso em 2014 maio 5]. Disponível em: .

Allegretti, A. L. C.; Mancini, M. C.; Schwartzman, J. S. Estudo do desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral diparética espástica utilizando o de Avaliação Pediátrica de Incapacidade (P.E.D.I.). 2004. Arq. Bras. Paralis. Cereb.

Mancini, M.C.; et al. Estudo do desenvolvimento da função motora ao 8 e 12 meses de idade em crianças nascidas pré-termo e a termo. Arq. Neuropsiquiat. 2002; 60 (4):974-80.

de Abreu Monteiro, J, et al. "Avaliação do nível de independência nas atividades de vida diária da criança com paralisia cerebral: um estudo de caso/Independence level evaluation in activities of daily living of children with cerebral palsy: a case study." Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar 20.1 (2012).

Antunes, F.T, Ramos, T.C, Oliveira, D. Mecanismo neuromotor da paralisia cerebral. Drogas escassas. 2011. Disponível em: . Acesso em: 08. jun. 2014.

Blanche, E.L.Botticelli, I. M. hallway, M.K. Combinando o tratamento de neuro desenvolvimento e princípios de Integração Sensorial: Uma abordagem a Terapia Pediátrica. TUCSON, AZ:THERAPY BULDERS, 1995.

Mailloux, Z. et al. Verificação e esclarecimento de padrões de disfunção sensorial integrativa. Jor Amer de Ter Ocup. 2011 [acesso em 2015 set 16]. 65: 143--151. Disponível em: < doi:10.5014/ajot.2011.000752> [tradução autores].

Negrisolli, F.K, Barros, S.Q, Rocha, L.B. "A integração sensorial no tratamento do paralisado cerebral sob a visão da terapia ocupacional." Multitemas 26 (2016).

Momo, A.R.B, Silvestre, C; Graciani, Z. O processamento sensorial como ferramenta para educadores: facilitando o processo de aprendizagem. Memnon Edições Científicas. 2011. 3. ed.

Carvalho, L.M.G, Torello, E.M. Integração Sensorial como recurso terapêutico no tratamento de distúrbios neuro percepto - motores do Adulto. In: Apostila do curso Integração Sensorial em distúrbios neuro-percepto-motores. 2011. Campinas: Unicamp.

Miller, L.J.; et al. Evolução do conceito de integração sensorial: a proposta nosologia para o diagnóstico. Jor Amer de Ter Ocup. 2007. 61 (2):40-135. [tradução autores].


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

      

       

    Resultado de imagem para REDIB