Avaliação funcional do desenvolvimento psicomotor e ambiente familiar de crianças com síndrome de down/ Functional assessment of psychomotor development and family environment of children with down syndrome

Maria Natália Santos da Silva, Karine Morgana Batista Santos, Lais Melo Andrade, Aristela de Freitas Zanona

Resumo


O desenvolvimento infantil abrange modificações no plano motor, intelectual, emocional e social. Nesse sentido, a síndrome de Down (SD) é uma condição genética reconhecida há mais de um século, que constitui uma das causas mais frequentes de deficiência intelectual, podendo afetar também o desenvolvimento motor da criança, devido às características musculares (hipotonia) e articulares (grande amplitude de movimento) inerentes a esta síndrome. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o desenvolvimento funcional, psicomotor e o ambiente familiar de crianças com síndrome de Down. Trata-se de um estudo exploratório, com caráter descritivo e delineamento transversal, realizado com crianças na faixa etária de 6 meses a 7 anos, em que foram utilizadas três avaliações: a Escala de Desenvolvimento Motor (EDM), o Pediatric Evaluation of Disability Inventory (PEDI) e o Home Observation for the Measurement of the Environment (HOME). Foi observado, quanto ao desenvolvimento motor, que as crianças apresentaram resultados muito baixos, assim como em sua funcionalidade; já na avaliação do ambiente familiar, foi constatado que os estímulos que essas crianças recebiam eram medianos. Os achados reforçam a importância da estimulação precoce em crianças com SD, visto que estas possuem potencial para se desenvolver com qualidade.



Palavras-chave


Desenvolvimento infantil; Desempenho psicomotor; Síndrome de Down.

Texto completo:

PDF

Referências


Haywood, KM; GETCHELL, N. Desenvolvimento motor ao longo da vida. 6a ed. Porto Alegre: Artmed Editora; 2016.

Gallahue, DL; Ozmun, JC; Goodway, JD. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. 7a ed. Porto Alegre: AMGH; 2013.

Moreira, LM; El-hani, CN; Gusmao, FA. A síndrome de Down e sua patogênese: considerações sobre o determinismo genético. Rev. Bras. Psiquiatr. 2000; 22(2):96-99.

Frid, C; Drott, P; Lundell, B; Rasmussen, F; Annerén, G. Mortality in Down's Syndrome in relation to congenital malformations. J. Intellect. Disabil. Res. 1999; 43(3): 234-41.

Déa, VHSD; Baldin, AD; Déa, VPBD. Informações gerais sobre a síndrome de Down. In: Déa, VHSD; Duarte, E. Síndrome de Down: informações, caminhos e histórias de amor. São Paulo: Phorte, 2009.

Pazin, AC; Martins, MRI. Desempenho funcional de crianças com síndrome de Down e a qualidade de vida de seus cuidadores. Rev. Neurocienc. 2007; 15(4): 298-303

Silva, NLP; Dessen, MA. Crianças com síndrome de Down e suas interações familiares. Psicol. Reflex. Crit. 2003;16(3): 503-514.

Aguiar, LCV; Reis, LL; Furiere, N; Nascimento, RC; Neves, JAS; Corrêa, MM, Ferreira, DM. Prevalência de atrasos no desenvolvimento neuropsicomotor em crianças de 6 a 24 meses. In: XI Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba. 2009, 1588-1591.

Coppede, AC; Campos, AD; De Santos, DCD; Rocha, NACF. Desempenho motor fino e funcionalidade em crianças com síndrome de Down. Fisioter. Pesqui. 2012; 19(4):363-8.

Silva, MNS; Dounis, AB. Perfil do desenvolvimento motor de crianças entre 9 e 11 anos com baixo rendimento escolar da rede municipal de Maceió, Alagoas. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos. 2014; 22(1):63-70.

Medeiros, JSS; Silva, MNS; Silva, VF; Menta, SA; Torres, RMM. Funcionalidade familiar: Um comparativo entre duas comunidades sob o ponto de vista da Terapia Ocupacional. In: Ix Congresso Latino Americano De Terapia Ocupacional e XII Congresso Brasileiro De Terapia Ocupacional. Anais.: São Paulo, 2011.

Andrade, AS; Santos, DN; Bastos, AC; Pedromônico, MRM; Almeida-Filho, N; De Barreto, ML. Ambiente familiar e desenvolvimento cognitivo infantil: uma abordagem epidemiológica. Rev. Saúde Públ. Bahia. 2005; 39(4): 607.

Voivodic, MAMA; Storer, MRS. O desenvolvimento cognitivo das crianças com síndrome de Down à luz das relações familiares. Psicol. Teor. Prat. 2002; 4(2):31-40.

Henn, CG; Piccinini, CA; Garcias, GL. A família no contexto da síndrome de Down: revisando a literatura. Psicol. Estud. Maringá. 2008; 13(3): 485-93.

Makarenko, AS. Conferências sobre educação infantil. Trad. Vizotto, M.A. São Paulo: Moraes, 1981.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes de atenção à pessoa com Síndrome de Down. Brasília, DF, 2012.

Rosa Neto, F.; Xavier, RFC; Santos, APM; Amaro, KN; Florêncio, R; Poeta, LS. A lateralidade cruzada e o desempenho da leitura e escrita em escolares. Rev. Cefac. São Paulo. 2013; 15(4): 864-872.

Haley, SM; Coster, WJ; Ludlow, LH; Haltiwanger, JT; Andrellos, PJ. Pediatric evaluation of disability inventory: development, standardization and administration manual. Boston: New Englang Medical Center; 1992.

Macedo, LG; Schultz NCW; Queiroz AH; Crepaldi MA; Cruz RM. Reflexões sobre os parâmetros psicométricos do inventário home versão infant toddler. Aval. Psicol. 2010; 9(2): 233-241.

Freire, RCL; Melo, SF; Hazin, I; Lyra, MCDP. Aspectos neurodesenvolvimentais e relacionais do bebê com síndrome de Down. Rev. Psicol. Latinoam. Bogotá. 2014; 32(2): 247-59.

Ferreira, DM; Salles, BF; Marques, DVM et al. Funcionalidade de crianças com e sem síndrome de Down. Rev. Neurociência. 2009, 17(3): 231-38.

Cruz, O; Abreu-Lima, I. Qualidade do ambiente familiar – preditores e consequências no desenvolvimento das crianças e jovens. Rev. Amazônica. Amazônia. 2012; 8(1): 246-265.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO

Indexado em: