Does inflection matter? A few more notes on BP Inflected Infinitives

Marcello Modesto

Resumo


Este capítulo argumenta, baseado principalmente na história brasileira, em favor da tese de que a flexão infnitiva (FI) não pode ser apenas um produto da escolarização (e não um traço do português brasileiro), uma vez que é usada pelos veículos de comunicação de massa e por falantes do dialeto “standard”. Falantes de PB têm julgamentos nativos sobre a distribuição da FI. Esses julgamentos não são o que se espera no caso de esses falantes estarem seguindo a gramática ensinada pelas escolas brasileiras, como mostram os resultados experimentais de Modesto e Maia (2017). Concluímos, portanto, que os resultados já obtidos pelo estudo da FI são cientifcamente interessantes.

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.31513/linguistica.2017.v13n2a13508


Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: