A análise de tempo em Ticuna (Tikuna) Revisitada: questões sobre anáfora temporal e sequenciamento temporal

Marília Facó Soares

Resumo


Este trabalho retoma questões abertas em Soares (2005), trabalho em que afrmamos que caberia investigar se o tempo em Ticuna (Tikuna), ao invés de ser concebido como uma dimensão temporal construída a partir de operadores pertencentes a uma metalíngua, poderia ser visto como centrado na existência de entidades temporais na própria língua. Um tal questionamento leva necessariamente à busca por dados relativos à anáfora temporal e a fenômenos anafóricos de modo geral, colocando difculdades para uma abordagem do tempo a partir de operadores. Nosso principal objetivo neste artigo é, assim, verifcar a existência ou não de sequenciamento temporal (SOT) e, consequentemente, as possibilidades da anáfora temporal nessa língua.

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.31513/linguistica.2017.v13n2a14035


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: