Atrito linguístico em plosivas em início de palavra: dados de bilíngues e trilíngues

Laura Castilhos Schereschewsky, Ubiratã Kickhöfel Alves, Felipe Flores Kupske

Resumo


Este trabalho tem como objetivo discutir evidências de atrito linguístico do português (L1) em falantes bilíngues (português e inglês-L2) e trilíngues (português, inglês-L2 e alemão-L3). Investigamos, neste estudo, os diferentes padrões de produção de Voice Onset Time (VOT) das  plosivas surdas (bilabiais, alveolares e velares) em posição inicial de palavra nas línguas referidas. Os resultados encontrados sugerem a ocorrência de atrito linguístico mesmo em um ambiente onde a L2 ou a L3 não é dominante, além de trazerem evidências sobre a multidirecionalidade da transferência linguística e a importância da tipologia no desenvolvimento de línguas adicionais, de modo a ressaltar o seu caráter dinâmico.

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.31513/linguistica.2019.v15n2a21353


Palavras-chave


Atrito Fonético. Voice Onset Time. Transferência Linguística.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2019.v15n2a21353

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: