Descrição da variação fonético-fonológica na letra manual “E” em Libras

Heloise Gripp Diniz

Resumo


A expressão da Libras se dá majoritariamente pelas mãos, mas também envolve expressões faciais e corporais e o uso do espaço de sinalização. As produções manuais podem ser, de maneira geral, de dois tipos: sinais lexicais e datilolologia. Esta última se refere à soletração manual de palavras do português escrito por meio de configurações de mão, CM, que representam as letras do alfabeto. O uso da datilologia e a consequente formação de sinais datilológicos resulta do contato com a língua portuguesa. O presente artigo discute a variação fonético-fonológica na letra manual ‘E’, observada durante a soletração manual e a produção de sinais datilológicos. Nessas produções, percebeu-se a ocorrência de alguns processos fonológicos como a assimilação. Resultados preliminares sugerem os dois possíveis alofones para a letra manual “E”, cuja realização é influenciada pelo segmento vizinho da letra manual. Proponho que os dois alofones da letra manual “E” já identificados sejam representados por meio de símbolos [E●] e [E○], uma notação que futuramente poderá ser estendida para os possíveis alofones de outras letras manuais.


Palavras-chave


datilologia; sinal datilológico; alofone.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2020.v16n3a37488

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: