Penalidade do Nome Repetido: um efeito multifatorial

Eva Vilma Aires Cabral Gondim, Marcio Martins Leitão, Matheus de Almeida Barbosa

Resumo


Este artigo investigou o processamento anafórico de nomes repetidos e pronomes plenos em Português Brasileiro (PB), focando aspectos teóricos e metodológicos relacionados ao efeito da Penalidade do Nome Repetido (PNR), que consiste em um aumento de custo de processamento de nomes repetidos quando comparados com pronomes no estabelecimento da correferência.  Neste estudo, apresentaremos dois experimentos que conduzimos com a técnica de leitura automonitorada manipulando os fatores: tipo de retomada (nome repetido, pronome pleno); quantidade de antecedentes humanos (um ou dois antecedentes), e controlando a forma de segmentação/aferição do tempo de leitura (aferição do tempo de leitura apenas da retomada, aferição do tempo de leitura da sentença inteira que continha a anáfora). Os resultados encontrados apontaram para uma possível interação entre esses fatores influenciando a ocorrência ou não da PNR, fortalecendo a nossa hipótese geral de que essa penalidade é um efeito multifatorial, o que pode explicar os resultados divergentes encontrados na literatura sobre a PNR em PB.


Palavras-chave


Psicolinguística Experimental; Processamento Anafórico; Penalidade do Nome Repetido.



DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2020.v16nEsp.a38165

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: