Raising como uma nova descrição sintática para as orações relativas

Eduardo Kenedy

Resumo


Neste texto estabelece-se um confronto entre o modelo tradicional de descrição de cláusulas relativas, sustentado na análise wh-movement de CHOMSKY (1977), e o modelo raising, de base em KAYNE (1994) e BIANCHI (1999, 2000), com o objetivo de argumentar em favor desse último. Procura-se demonstrar que o modelo raising, segundo o qual o sintagma alvo da relativização é sistematicamente extraído de dentro da própria cláusula relativa, constitui uma análise sintática observacional e descritivamente mais adequada que a abordagem wh-movement, já que é capaz de superar as diversas limitações conceituais e empíricas nessa imbricadas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: