Homonímia, polissemia, vagueza: um estudo de caso em semântica lexical cognitiva

Diogo Pinheiro

Resumo


Este trabalho discute os resultados de uma investigação empírica em semântica lexical cognitiva, na qual se procurou avaliar a percepção de 79 falantes nativos acerca da semântica do verbo ter pleno do português brasileiro. Tais resultados permitiram a construção de uma rede esquemática que organiza, de maneira empiricamente fundamentada, os diversos sentidos/usos do ter pleno. A partir dessa rede, pudemos identificar cinco fatores que conduzem à percepção de proximidade ou afastamento semântico entre duas acepções associadas a uma mesma forma fonológica.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: