A interação entre acento e processos de (re)estruturação silábica: um desafio para a teoria da otimalidade

Gisela Collischonn

Resumo


O presente trabalho discute o tema da interação entre acento e processos de síncope e de epêntese. O desafio para uma abordagem de restrições com aplicação em paralelo, como proposta na Teoria da Otimalidade clássica (Prince e Smolesnky, 1993/2004) é que, em muitas línguas, os processos de epêntese e de síncope alteram a estrutura silábica sobre a qual as restrições de estrutura métrica atuam, criando opacidade. Além disso, as interações entre esses processos e o acento também revelam lacunas tipológicas, isto é, relações de mapeamento entre input e output admitidos, em princípio pela teoria, mas não atestados. Neste artigo, apresentamos e discutimos uma abordagem derivacional da Teoria da Otimalidade, proposta em McCarthy (2007, 2008b) para responder a estes desafios, exemplificando a abordagem com a análise da síncope em latim, apresentada em Jacobs (2008). Nas considerações finais, apontamos para aspectos do fenômeno de sândi em português que provavelmente necessitam de uma abordagem semelhante.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2011.v7n1a4456

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: